Browsing Category

Livre

Deixem o miúdo em paz

19/05/2017

Portugal tem este problema. Ninguém cresce, mas quando alguém se destaca, espremem-no até à exaustão, usando-o para coisas que não têm nada a ver. Convidam-no para falar do tigre em extinção, do défice, de música ou de feminismo, apenas para garantir audiência, colar na imagem do ganhador e garantir algum protagonismo com isso.

No caso, é mais do que merecido e justo, o que é bom.

Holofotes

Mas é preciso ter punho de ferro para resistir a esta palhaçada, pôr ordem no caos, devolver o bom senso à humanidade.

Salvador Sobral recebido no Parlamento, a que se segue almoço com Ferro Rodrigues.

Porquê? O miúdo fez mal a alguém? Porque não se respeita a vontade dele e o deixam quieto, a fazer música, sem demasiados holofotes, ele não gosta, e menos, bem menos mediatismo?

Há uma ideia errada de que quando alguém ganha alguma notoriedade o público acha que tem direitos sobre a vida dessa pessoa. Não tem. E mais, não lhe faz favor nenhum. O público recebe na mesma medida em que dá, muitas vezes nada, não tem o que exigir. Não, não é o preço a pagar. Porque raio é que alguém tem de pagar um preço violento por fazer alguma coisa da qual a sociedade vai beneficiar?

Esta tudo doido?

Ainda para mais quando não usa nem nunca usou os media para nada. Nunca se serviu do sistema. Tudo o que conquistou foi com humildade, sobriedade, amor à arte, fiel a ele próprio, sem se vender a nada nem a ninguém. É esse o mérito de Salvador Sobral, para além da música, que é no que ele é absolutamente sublime.

Deixem o miúdo fazer música, cada macaco no seu galho, que é o que sabe e gosta de fazer. E protejam-no, que não é de ferro. Para que possamos tê-lo por cá muito tempo, a cantar e a encantar.

INFP – We should rule the world*…

17/05/2017

What an INFP Personality Type Means When They Say ‘I Love You’:

Loving you has become a part of who I am**.
INFP
Love is a deeply personal experience to the INFP and they take the feeling anything but lightly. When an INFP loves you, they aren’t just concerned for your wellbeing – they feel all of your pains, your struggles and your triumphs as their own. Loving you becomes a part of their core identity and part of the way in which they define their very selves. When this type says ‘I love you,’ they are letting you know that the way they feel about you has infiltrated their most intimate thoughts and emotions.
*If only we could give a flying f*ck about power.
**Via

Conexão – Tudo o resto não me interessa

16/05/2017

O que me faz sair de casa, encarar o trânsito, dar cabo dos pneus, das jantes e da suspensão do super-bólide nas ruas de Lisboa, esfrangalhar os nervos só de pensar que vou ter de guiar entre selvagens, ficar três horas à procura de estacionamento no centro da capital, é a perspetiva da transcendência. Que, na linguagem da dança, se chama entrar em vivência. O que é, aliás, a única coisa que me interessa na vida neste momento: conexão total, absoluta. E tudo, e todos, os que me ajudem a lá chegar são bem-vindos.

É para lá que corro

Quando comecei, chegava mais rápido e mais facilmente sozinha, sou individualista convicta. Mas, desde que mudei de grupo, noto que a tendência é para que o consiga em dupla. Coincide com uma fase pós-luto intensíssimo, em que me encontro neste momento, a de me voltar para fora. Daí que, apesar de o conseguir a escrever e a correr, tenho tido preferência, e ansiado, pela dança. Em vez de lá chegar pela arte (no meu caso, a música, o cinema, a escrita), que é das formas mais eficazes de conexão que conheço.

A conexão é pela via da emoção. Não há outra forma de chegar.

conexão

Mudei-me há pouco, 4 meses e meio. E, apesar de não haver qualquer estranheza, pelo contrário, às vezes parece que nunca estive noutro lado, a verdade é que é muito pouco tempo. Por isso foi reconfortante saber que ia encontrar companheiros de jornada. Mesmo que não dancemos tanto assim juntos, são referência, deixam-me segura, passámos por um projeto inteiro juntos, temos outra conexão, que me faz sentir amparada e que ainda não desenvolvi com os restantes.

Toda eu sou sentimento.

Alguns estão a passar, aos poucos, para outro grupo e, mais tarde ou mais cedo, vão deixar-nos. Há umas presenças que só podem vir de 15 em 15 dias, o meu sorriso ilumina-se quando os vejo e adoro dançar com eles, nada se perdeu. Mas eu preciso de alguma constância para me permitir uma série de coisas, nomeadamente a partilha de intimidade. Que não se prende exclusivamente com uma intimidade amorosa, sexual, como é evidente. Mas com algo mais profundo e mais precioso, a permissão para a vulnerabilidade. Ler Mais…

Salvadorable – Quanto mais ouço o Salvador Sobral, mais me apaixono.

15/05/2017

Começamos por identificar Caetano, em Ay Amor, e Woody Allen, reconhecido e reputado jazzista, em todos os solos de trompete. E, aos poucos, vamos descobrindo Salvador, que chega devagarinho, sem pedir licença, seguro mas não impositivo, como deve ser. Até nos esquecermos de tudo ficarmos só com ele, a voz, o piano, do virtuoso Júlio Resende, a melodia, o humanismo, a vulnerabilidade e a beleza tranquila de quem está apaziguado consigo mesmo.

Entra devagarinho pela alma adentro. Primeiro a melodia, em plena harmonia com o fluxo sanguíneo, percorrendo o corpo todo até chegar ao coração. Depois a pureza da voz, de um anjo, como já alguém disse, o epíteto Salvadorable assenta-lhe que nem uma luva. Um anjo com swing e algo mais para que não encontro as palavras.

A música do Salvador comunica diretamente com a alma sem passar pelo cérebro. Ouço o disco sem parar e gosto cada vez mais. Por ser bom, subtil, por se ir descobrindo à medida que a resistência vai baixando, até que o consigamos sentir apenas com a alma e o coração, que Salvador Sobral entrega à música, à voz, à arte, com uma mestria uma graça, uma autenticidade sem igual.

Salvadorable

Como se inconscientemente soubéssemos que não mais seremos os mesmos depois de o ouvirmos e nos deixarmos tocar pela magia. E por isso resistimos, é humano resistir antes da rendição. No caso de Salvadorable, é apenas uma perda de tempo. De que só nos damos conta quando tudo em nós se funde com a música, a voz, os instrumentos, a melodia, tornando-nos parte da orquestra, elevando-nos.

Salvador Sobral, devolve a melodia à alma, fazendo de nós Ready for Love Again

E se uma vida digna não passa pela capacidade de nos rendermos à beleza, à poesia, à emoção, à ligação, fusionando-nos, deixando-nos comover com a nossa impotência perante o sublime, não sei o que será.

Parabéns, Salvador, és a coisa mais bonita que aconteceu a este velho e desacreditado país, devolveste-nos a alma, que é também a nossa essência. E nada pode ser mais apaziguador do que isso.

Obrigada

#Salvadorable

14/05/2017

“It’s like he gave our soul a hug”
Salvadorable

Dava um rim e meio para ter escrito esta frase e criado esta hashtag.

Parabéns, #Salvadorable, és grande.

error: Content is protected !!