Browsing Category

Me and Mr Freud

Sr. Freud visto por quem leu

19/02/2017

Muito bom este romance em forma de cartas ao Sr Freud. Escrito de uma forma simples, leve mas profundo, abordando assuntos “sérios” de divã mas com humor, este romance leva-nos a uma viagem pelos meandros da psicanálise e do nosso eu. Algumas cartas pareciam ter sido escritas por mim, assim eu tivesse engenho e arte, de tal modo me identifiquei. Será a Isabel Duarte Soares o meu alterego? Recomendo! Para os fãs da psicanálise e não só… Hélia Jorge (Fevereiro 2017)

Adorei, adorei le-lo, tens sem duvida uma escrita fácil de ler o que me cativou imenso em relação ao livro em si. Achei imensa piada ao facto de usares personagens conhecidas como os clientes de Freud, alguns mais antigos outros maEu e o Sr. Freudis recentes mas todos abordando temas da sua época que se encaixam a 100% na atualidade. Também reparei que nalgumas cartas ias buscar pormenores de cartas anteriores, nunca tinha visto nada escrito desta forma antes. E gostei porque automaticamente associei as cartas entrelaçadas. E A D O R E I o à vontade e o safoda da escrita, expressas o que te vai na alma sem sequer te importares minimamente que alguém pode considerar isso obsceno, fiquei mesmo fã. Beatriz Rodrigues (Agosto 2016)

Uma viagem íntima aos muitos arquétipos clássicos e modernos que movem nossas facetas sociais. Questionamentos, descobertas… O divã da psicanálise acessível por cartas endereçadas a Sigmund Freud, monólogos com as mais surpreendentes assinaturas, como um espelho em palavras lançadas segundo fragmentos brilhantes para o auto conhecimento. O mais recente livro de Isabel Soares é a confirmação de um talento surpreendente, criativo e marcado por sua patente originalidade. Paulo Nunes (Fevereiro 2015)

Mais

Compromissos publicitários

17/02/2017

Também estamos no GoodReads, todas as versões do Message in a Bottle e agora também o Sr. Freud. Ó pra eles aqui.

Message in a Bottle - Isabel Duarte Soares

Mr. Freud et Moi

10/02/2017

Mr. Freud Aí está, Mr. Freud et Moi, que é o mesmo que dizer que, depois da versão espanhola, o meu segundo livro, Eu e o Sr. Freud, foi traduzido para francês e já está disponível na versão digital no iTunes, na Barnes & Noble, entre outros sítios como o Kobo, por exemplo. Em breve há de estar na Amazon, como os outros. Gosto mais do que de Nutella…

Todos os agradecimentos às tradutoras, deste e do Message in a Bottle.

Description

Collection de lettres de différents expéditeurs. Ces lettres, en vérité, ce sont des séances d’analyse, où chaque personnalité signataire est celle qui est sur le divan, le dos tourné au Dr. Freud. Plusieurs voix, plusieurs tons, autant de parties en cause comme celles qui habitent dans notre tête. Pessoa les appelait hétéronymes, je les appelle, modestement, dieux et déesses…

Essa tal de realidade

20/12/2016

A realidade é o que vemos, como vemos, como queremos vê-la. A verdade, Dr. Freud, é que a realidade, quem a faz somos nós.

A minha realidade, apesar de já ter conhecido um pouco de mundo, é diferente da sua, da do porteiro da padaria e da do milionário da Óscar Freire. A minha realidade é diferente da de um político, da de um delegado do Ministério Público e da de um médico. Somos todos adultos, nenhum de nós vive num mundo paralelo, nem nos foi diagnosticada qualquer psicose.

Nós vemos a realidade como melhor nos convém, o que cabe nas nossas convicções, aquilo em que precisamos de acreditar para nos movermos, nos definirmos, vivermos. A realidade pode até ser “a verdade dos factos”, Dr. Freud, no entanto, pergunte a um político o que é a realidade. Ele vai mostrá-la com factos diferentes dos seus, ainda assim, factos. E aí, em que é que ficamos?

A minha realidade, apesar de já ter visto o pior do mundo, exceto talvez a guerra, é baseada nas minhas experiências, no que quero para mim e para a minha vida, no que vivi, não vivi, experimentei, estudei, conheci, vi e venci, e perdi. A sua há de ser outra.

A realidade que o senhor quer ver justifica a sua vida, as suas escolhas, as suas vontades, as suas crenças, as suas convicções. Até que o obrigue a ver tudo de outra forma, a repensar conceitos, valores, experiências, vontades e convicções. E nesse momento, Dr. Freud, a sua realidade é um inferno, o inferno que o senhor vive na sua cabeça. Só depois ganha uma corzinha, uma luz nova, um cenário diferente, não tão idílico assim…

In: Eu e o Sr. Freud 1 ano ontem. E ontem deparo-me com esta imagem e esta frase de Jung, que não conhecia. Macacos me mordam se não levo jeito para isto…

Lispector

22/10/2016

Amiga brasileira que acaba de chegar para fazermos o workshop dos deuses gregos leu alguns capítulos do Eu e o Sr. Freud e diz que a faço lembrar Clarice Lispector por causa da literatura e Irvin D. Yalon por causa da psicologia. O Irvin D. Yalon é o autor de um livro que não li mas que está na base do argumento de um dos meus filmes preferidos de todo o sempre e mais além, chamado Quando Nietzsche chorou. Estou que nem me tenho… 😍

deusaslisboa