Browsing Category

Uncategorized

Calçola

19/09/2018

Rendi-me às evidências e comprei uma dúzia do que os brasileiros chamariam calçola… E a que eu chamo: boxers de mulher. Parece que o nome oficial no site de uma loja de lingerie é culotte… 

O Brasil contribuiu em muito para que fizesse as pazes com o meu corpo e o aceitasse tal como é. Por isso, adotei o estilo local, calções curtos, partes de baixo reduzidas, mas não muito, ainda me resta alguma noção, e segui feliz.

No Rio, chegaram a dizer a uma amiga: biquini de coroa não tem não…

Quando cheguei, achava, naturalmente, os biquinis enormes. Como diria o meu irmão mais velho, autênticas barracas de praia. O mesmo aconteceu com tudo o resto que envolve a cobertura das partes pudendas da cidadã de bem.

O problema era marcarem-me os vestidos e as leggings quando ia dançar. Era inestético e impedia a circulação.

E, na praia, indiferente ao tempo e às carnes que me abundam, felizmente, mulher sem curvas é mulher aprisionada, decidi optar por uma coisinha mais reduzida, que me bronzeasse o mais possível, para disfarçar as imperfeições de um corpo que outrora haveria feito os delírios de pintores e poetas.

Está aí Afrodite que não me deixa mentir: barriguinha e coxão.

Fiz o mesmo em relação ao resto, adquirindo uma quantidade razoável dessas que se enfiam onde não devem, num desconforto insano. Quatro anos de tortura auto-infligida…

No outro dia, dei o grito do Ipiranga.

Dirigi-me ao sítio do costume e mandei ver. E descobri-me feliz com o que faz do meu rabo um monumento. Ao mesmo tempo que parece que não tenho nada vestido. Sem precisar o tempo todo de ter de me ajustar a uma coisa que não me cabe. Mais ou menos como tentar enfiar o Rossio na Betesga…

A revolução é feminina, como diz a minha poeta preferida.

Se houve um tempo em que a revolução se fez pela retirada de sutiãs, a da nova era pode bem começar por aí.

E a minha já começou. Pela calçola. Sem amarras nem prisões. E com rendinha no topo da cintura descida, sexy as f*ck…

De gola alta não dá não….

Para ajudar, no outro dia vi uma série que só tem uma temporada – se as séries de que gosto não podiam ser como a Anatomia de Grey que tem 700 temporadas de 30 episódios cada – em que o marido de uma Atena típica dizia que queria ver a mulher de calçola e t-shirt a limpar uma mesa, porque tal visão lhe dava tesão…

Fiz um verso sem querer, só pode ser bom sinal…

Os livros são para rodar

18/09/2018

Exceção feita aos livros de psicologia, de literatura que é de facto literatura, e dicionários, os livros são para rodar. Principalmente se não vamos lê-los mais do que uma vez. Consultar depois. Ou mesmo se não vamos lê-los de todo. Acontece muito.

Bem sei que ficam lindos nas estantes, dão-nos um ar culto, intelectual, inteligente e respeitável. livros

E ainda assim…

Um destes dias, amiga de visita de SP, perguntava-me o que achava da Isabel Stilwell. Se já tinha lido os romances históricos. Respondi-lhe imediatamente que o meu pai, nos últimos anos, tinha lido alguns. Que os havia lá em casa e que ia trazer-lhe um para ela ver se gostava. Com o Real a 5 para 1, ainda que com uma mala quase vazia para poder comprar livros, achei que podia poupá-la a esse gasto. Dificilmente alguém lhes pegaria lá em casa e eu teria o maior gosto que dois dos livros do meu pai ficassem com alguém que lhes desse o devido valor. Mais por serem dele e deles ter gostado, do que propriamente pelo conteúdo.

A minha mãe ainda me perguntou: mas ela vai devolvê-los, não vai?

Disse que não. Que queria dar-lhos. E a minha mãe não se manifestou, perante o meu ar decidido.

Por isso, foi no meio da maior comoção dela, que lhos entreguei em mão, na esperança que se divirta, goste, e lhe enfeitem as estantes, quem sabe ao pé da Divina Comédia, do Dante, que granjeou um prémio de tradução ao tão saudoso Vasco Graça Moura. E que me garante que ela entende do negócio.

Quem compra a Divina Comédia sabe da poda.

Talvez fique um bocado triste se alguma vez encontrar os meus por aí… Significa que não foram suficientemente cativantes para que os retivessem. Mas penso melhor e acho que, quanto mais gente os ler, melhor. E se essa é a forma de chegarem mais longe, pois que rodem. Por quem lhes dê o devido valor.

Dificilmente me apego a coisas, o desapego é libertador. Abre espaço para o novo, mas, acima de tudo, para o que fará mais sentido na fase presente. O apego ao passado não passa de mera ilusão.

Bom ouvido

15/09/2018

Serve este interlúdio para um bom e velho auto-elogio.

A prova de que tenho bom ouvido: desde que o giraço me apresentou a Lianne la Havas, na sua versão de Little Prayer, que não ouço outra coisa.

Num dia desses, mandei-lhe um whats.

A dizer que, musicalmente, havia uma música dela que fazia lembrar imenso Tom Misch.

Acabo de descubrir que o remix é dele

MBTI – INFP 😍

23/08/2018

“INFPs might be introverts but they truly love experiencing deep and meaningful conversations. They might have a hard time initiating with some people, and can seem a bit strange to the ones who don’t understand them. This is mostly because INFPs really hate small-talk and often attempt to avoid it at all costs. Having to engage in shallow conversations can be extremely draining for them, and leave the INFPs feeling like they have wasted their energy completely.

The INFPs conversation style is more in depth and passionate, they want to talk about meaningful things and share parts of their soul when they are truly engaging with someone.”

Conheça o seu tipo psicológico. Saiba mais

Introverted Men 😍

18/08/2018
Introverted men have a secret weapon that women can’t resist: magnetism.

The tricky part is knowing how to master the art of magnetism in your own introverted way.

Magnetism, otherwise known as powerful attraction, is something that many aspire to, but few actually embody.

Many people believe that being magnetic is something that you are born with. This isn’t true. Like algebra and social skills, magnetism can be taught and mastered. 

Luckily for introverted men, it’s also something that begins on the inside and works its way outward.

The core characteristics of an introverted man (introspection, intuition, keen observation skills, self-awareness, sensitivity) are the perfect foundation for being powerfully attractive.

As séries de advogados e eu

13/08/2018

Quando achava que depois de Ally McBeal e Boston Legal série de advogados alguma iria reconquistar-me, eis que surge: The Defenders

The Defenders

Se calhar já tem dez anos…

Tem um advogado novo e gato, um mais velho que é o big boss, uma jovem mulher brilhante, um argumento genial, reviravoltas incríveis, catchy desde o início, do melhor.

Na TV Series, 3€/mês.

De nada

error: Content is protected !!