Inverness e Terras Altas

04/11/2019

A viagem de comboio de Edimburgo até Inverness, três horas e meia, onde vim quase exclusivamente para ir ao campo de batalha de Culloden, é um deleite para a vista.

Meu Deus, como as Terras Altas são lindas…

Vim o tempo todo a ler. Esperei o dia 22 de outubro para começar The Voyager (em papel), o terceiro da saga Outlander.

O bom da série é que só precisamos de levar um livro. Pequeno mas compacto. E pesadinho. 1000 e tal páginas dão conta de uma viagenzinha de 10 dias.

Devo ter lido umas 400…

Mas, de vez em quando, o olhar escapava-me para a janela e acho que até falava alto. De uma beleza… Na Escócia, até a natureza é organizada. Não havia uma folha fora do lugar. Apesar de as haver por todo o lado, o Outono na Escócia é dos mais bonitos do mundo, de certeza.

Um silêncio, uma paz quase beatífica.

Divina mesmo, eu diria.

A neve no topo das montanhas é como a cereja no topo do bolo. Também ela inatingível.

E, claro, ovelhas em todo o lado.

Três para cada escocês, como não nos cansamos de lembrar.

Inverness

Escócia, 2019

O cottage cheese deles é uma merda, though… Já em casa, tenho-me regalado com requeijão de Seia, morangos e mel. A minha fronte de proteína e vitaminas matinal. 

A sensação de paz que me invadiu depois de Culloden vai além de tudo. Sensação de ausência de corpo. Uma leveza tal que quase poderia voar…

Inverness é antiga, como é Edimburgo, apesar da parte nova desta. Um encanto.

Aqui do alto do castelo de Inverness, com o rio Ness aos meus pés, onde me sentei um bocadinho, parece até que as costas deixaram de doer.

Inverness é linda e a sensação nas Terras Altas é de luto e de reencontro. De pertença àquelas montanhas com o topo coberto de neve.

Os Fraser estão em todo o lado e too much of good whiskey is barely enough…

Inverness, Escócia, 2019.

No Comments

Leave a Reply

error: Content is protected !!