Mito e Razão

09/05/2018

A razão nos impõe limites muito estreitos e apenas nos convida a viver o conhecido – ainda com bastantes restrições – e num plano conhecido, como se conhecêssemos a verdadeira extensão da vida.

Na realidade, a nossa vida, dia após dia, ultrapassa em muito os limites da nossa consciência e, sem que saibamos, a vida do inconsciente acompanha a nossa existência.

Quanto maior for o predomínio da razão crítica, tanto mais a nossa vida se empobrecerá; e quanto mais formos aptos a tornar consciente o que é mito, tanto maior será a quantidade de vida que integraremos. A superestima da razão tem algo em comum com o poder de estado absoluto: sob seu domínio o indivíduo perece.  

mito
Um mito, uma danza. 25 de Maio
Inscrições: biodanzanunopinto@gmail.com

O mito é o degrau intermediário inevitável entre o inconsciente e o consciente. Está estabelecido que o inconsciente sabe mais do que o consciente, mas o seu saber é de uma essência particular, de um saber eterno que frequentemente não tem nenhuma ligação com o “aqui” e o “agora” e não leva absolutamente em conta a linguagem que fala o nosso intelecto.

In: Memórias, Sonhos e Reflexões, Carl Jung.

error: Content is protected !!