Outlander – Jamie e Sassenach

08/10/2018

O casal Jamie e Claire, de Outlander, é o melhor casal da história de todos os casais de ficção do mundo e de sempre. Do cinema e das séries. Do reino da fantasia em geral. O meu preferido. E, sim, tenho consciência que incluo aqui a dupla de Jane Austen. E a Bridget Jones… jamie

É a alteridade na perfeição

Para não falar que é lindo, não tem uma falha no discurso e no caráter, é firme quando precisa de ser, gentil na maioria do tempo, atencioso, masculino pra caramba… E ela uma verdadeira heroína, o arquétipo do futuro. Forte por dentro e feminina por fora.

Sozinha, faz mais pelo feminino, e o feminismo, do que as capazes, as #metoo e as feminazis todas juntas.

Jamie é masculino e tem o seu feminino integrado (anima), que só aparece quando tem de aparecer. E Claire é feminina e tem o seu masculino integrado (animus), que também só aparece quando tem de aparecer. Ambos funcionam individualmente e em dupla, nos papéis dos respetivos géneros e, se preciso for, até trocam de drive psíquico. Acontece muito entre casais.

A alternância perfeita, apropriada, integrada dos opostos.

Ontem, entre o Cristiano e o Bozo, revi a noite de núpcias dos dois. Que maravilha…

Eu quero um 18th century red-haired Scotish Highlander só para mim

outlander

E achava que era a única. Eu e o Nuno, que inclusive se disfarçou de escocês, com kilt e tudo, lindo, por sinal, no último Carnaval. A termos um inconsciente coletivo escocês, europeu, tão presente. Mas parece que não, não estamos sozinhos no mundo. Há uma quantidade incontável de mulheres, maduras, intelectualizadas, casadas, mães de filhos, e eventualmente de alguns homens, que fantasia com um escocês ruivo, do século 18, das Terras Altas.

Não podendo ser um Jamie Fraser, o escocês ruivo é na boa, as Terras Altas também é tranquilo. O século 18 é que é o diabo…

Mas, entre um outlander e um inlander, prefiro o segundo. E já tenho o meu, salvo seja, que ninguém é de ninguém. Um inlander moreno, da Bahia e dos anos 70. Os 40 são os novos vintage. Sempre é uma fantasia mais próxima da minha realidade do que a que envolve um escocês ruivo do século 18…

Sempre quis ir à Escócia. Vamos fazer um tour Outlander, pessoas.

A série é incrível, uma fotografia, um guarda-roupa, uma caracterização, irrepreensíveis. Realização primorosa. Riqueza de personagens, com imensa profundidade. Uma série de escoceses sarados de kilt. E de ingleses sarados de farda. E eu nem gosto de fardas…

Que se lixe o verão. Desejosa que chegue novembro, para a quarta temporada de Outlander. A primeira é a melhor. Já em estágio, inclusive. A rever as três temporadas, sempre que posso. Tudo de seguida, como eu gosto. A única forma de entrar, respirar, viver naquele mundo. É tão bom ser introvertida…

error: Content is protected !!