Pão

15/02/2017

Obrigar-me-ia a um grande chavascal cá em casa e agora não me dá jeito. Farinha, água e cola. Cola fez-me lembrar goma; goma, glúten; glúten, pão sem glúten. Amasso-o com as próprias mãos, máquina is for sissies, deixo-o levedar, espero pacientemente que dobre de tamanho, ponho-o a cozer, tiro-o das formas, ponho-o no forno de novo mais 15 minutos para ficar crocante, volto a tirá-lo e como-o.

Sempre tem mais utilidade do que o papier mâché, que não serve para nada, é um ato criativo, dá-me um prazer imenso e ainda me garante que há uma Deméter dentro de mim, capaz de alimentar uma prole, de cuidar, de ser mãezona. Que é a última coisa que me passaria pela cabeça ser.

Faço o meu próprio pão, não sei se consigo ser mais sexy do que isto…

[Quando o disse ao meu BFF, respondeu-me, com o ar mais sério e levemente nauseado: não acho as padeiras nada sexy. Talvez precise de mudar de BFF…]
Pão

Artist’s Date 46/365 – Learn to Make Papier Mâché

No Comments

Leave a Reply