Essa tal de realidade

20/12/2016

A realidade é o que vemos, como vemos, como queremos vê-la. A verdade, Dr. Freud, é que a realidade, quem a faz somos nós.

A minha realidade, apesar de já ter conhecido um pouco de mundo, é diferente da sua, da do porteiro da padaria e da do milionário da Óscar Freire. A minha realidade é diferente da de um político, da de um delegado do Ministério Público e da de um médico. Somos todos adultos, nenhum de nós vive num mundo paralelo, nem nos foi diagnosticada qualquer psicose.

Nós vemos a realidade como melhor nos convém, o que cabe nas nossas convicções, aquilo em que precisamos de acreditar para nos movermos, nos definirmos, vivermos. A realidade pode até ser “a verdade dos factos”, Dr. Freud, no entanto, pergunte a um político o que é a realidade. Ele vai mostrá-la com factos diferentes dos seus, ainda assim, factos. E aí, em que é que ficamos?

A minha realidade, apesar de já ter visto o pior do mundo, exceto talvez a guerra, é baseada nas minhas experiências, no que quero para mim e para a minha vida, no que vivi, não vivi, experimentei, estudei, conheci, vi e venci, e perdi. A sua há de ser outra.

A realidade que o senhor quer ver justifica a sua vida, as suas escolhas, as suas vontades, as suas crenças, as suas convicções. Até que o obrigue a ver tudo de outra forma, a repensar conceitos, valores, experiências, vontades e convicções. E nesse momento, Dr. Freud, a sua realidade é um inferno, o inferno que o senhor vive na sua cabeça. Só depois ganha uma corzinha, uma luz nova, um cenário diferente, não tão idílico assim…

In: Eu e o Sr. Freud 1 ano ontem. E ontem deparo-me com esta imagem e esta frase de Jung, que não conhecia. Macacos me mordam se não levo jeito para isto…

error: Content is protected !!