Corações nos Olhos

11/04/2018

A pergunta que faria ao Ricardo Araújo Pereira, se não estivesse fascinada a olhar para ele, de boca aberta e corações nos olhos:

Olá :) (E esperava que ele respondesse: Olá :) Depois, se conseguisse não gaguejar e atrapalhar-me toda… 

Pegando no que disse em relação aos Lusíadas e à forma como o livro é abordado no ensino tradicional. E ao exemplo que deu sobre a impossibilidade de virar um avião ao contrário só para ver como é. O Tom Cruise já fez isso num filme. Juntando o que diz algumas vezes sobre a grande maioria das pessoas não poder dar-se ao luxo de olhar para o mundo de maneira diferente, como as crianças e os criativos. Não valeria a pena tentar? Já que, na grande maioria do tempo, e das realidades das pessoas, a vida é aquela coisa chata que dá vontade que um raio a parta?

Só para aliviar um bocadinho?

Acrescentando que, se era mais divertido, e de mais fácil apreensão, porque não usar a criatividade para ensinar? Tendo em conta que as pessoas apreendem conhecimento de formas diferentes e que a criatividade é bem capaz de ser a única forma eficaz para todos os géneros de aprendizagem?

Na verdade, o que queria era que falasse sobre criatividade. O que o inspira? De onde vêm as ligações que faz de umas coisas às outras? Se é um treino, se é seu? Se é um improviso muito bem preparado? Se uma espontaneidade ensaiada :)

Para poder continuar a olhar para ele, fascinada, de boca semi-aberta e corações nos olhos…

Estupidamente, não levei os livros para ele assinar. Nunca imaginei que houvesse tempo ou disponibilidade para isso. Fica para a próxima, ainda não perdi a esperança de um dia estar no mesmo espaço que ele, de haver vinho disponível, de poder beber dois copos, ganhar coragem para me aproximar e fazer a pergunta que me surgir.

Hoje, no Parque dos Poetas, em Oeiras.
  • Eros 12/04/2018 at 10:48

    Não creio que necessites de vinho, pois ele é bastante simpático e gosta de ser interpelado… Principalmente por gente com “conteúdo”… Como tu :)

    • Isa 12/04/2018 at 11:55

      A sério, gosta? eu tenho ideia que não :) que gosta é de ficar sossegado :D

      • Eros 12/04/2018 at 16:20

        O que ele detesta é gente que passa por ele e fica a cochichar que era o fulano tal. Ele prefere que o interpelem.

        • Isa 12/04/2018 at 16:28

          Pois, se calhar eu é que acho que é invasivo… :)

    error: Content is protected !!