Solitária

17/08/2018

Ser introvertido é sentirmo-nos muitas vezes numa solitária. A interação com os demais é difícil, estamos bem connosco, o nosso melhor guardamo-lo para nós ou para meia dúzia, se tantos, de amigos em quem confiamos o suficiente para nos partilharmos. 

Somos diferentes, sentimo-nos diferentes da maioria e a última coisa que queremos é que nos esfreguem essa diferença na cara, como se fosse uma coisa má. Por isso, nos habituamos à solidão, de onde acabamos por tirar verdadeiro prazer. É dela que saem todas as nossas criações e soluções, muitas vezes.

E também por isso nos é difícil confiar o suficiente para que consigamos partilhar o que nos é íntimo. Tudo é íntimo para um introvertido, que raramente joga conversa fora. Por inerência, o facto de não agirmos como a maioria torna-nos ainda mais solitários. E, por isso, presos…

E como não nos partilhamos, convencemo-nos muitas vezes de que estamos sozinhos no barco, no mundo, na solitária.

A sensação na nossa cabeça é muitas vezes parecida: quatro paredes, sem janelas.

Por outro lado, o desafio de um introvertido, principalmente do tipo sentimento, é sempre o de o pôr no mundo. E não é um desafio porque o estabelecemos, achamos que devemos, os outros nos dizem que é o que temos de fazer.

É um desafio porque é parte do processo de individuação

A Biodanza tem me ajudado nesse sentido. A sair da concha. Passar do escrito para o oral, do meramente racional e psicológico para a vulnerabilidade. Mas eu sou introvertida, e por isso prefiro mil vezes as relações duais aos grupos. Mesmo quando a partilha é feita num espaço protegido e seguro, como é o caso.

São poucos os escolhidos, mas as escolhas têm se revelado acertadas. E se os olhos são as janelas da alma, um amigo a sério é com certeza uma janela aberta para o mundo, a vida e suas infinitas possibilidades, na solitária que é tantas vezes a nossa cabeça.

Abre-nos os olhos sem nos ferir ou humilhar, mostra-nos o que não conseguimos ver, está lá por nós e para nós. Respeita todas as nossas decisões, acolhe-nos na dúvida, na incerteza, na discussão.

Sinto-me muito afortunada por tê-lo na minha vida. Por nos termos escolhido, confiado e partilhado.

error: Content is protected !!