Esses tontinhos 2

19/10/2021

“The pandemic aka the(plandemic)

The events that have taken place over the past 19 months have all been in the pipeline for numerous years maybe even centuries.

Strategic planning over multiple event scenarios and outcomes that our philanthropist overlords roll out on the human population without your vote or say so. To fit their specific agenda and reduce the carbon emitters or useless eaters in the words of klaus schwab and his friend bill gates

So this list of their plans will help educate you on the agendas bestowed upon all of us. Brought to your family’s door by the world economic forum, Rockefeller’s,  John Hopkins institution, Bill and Melinda gates foundation, WHO, CDC, FDA all with the help of your corrupt local government agencies and politicians!

Agenda 21

Agenda 30

Agenda 50 Ler Mais…

Conspiracionistas, esses tontinhos.

18/10/2021

Itália vai exigir passaporte sanitário para trabalhar. Como em qualquer ditadura, “mostre-me os papéis para poder circular”.

Enquanto isso, na Austrália, o tubo de ensaio para o mundo, a ditadura sanitária é oficial:

If you are not fully vaccinated

If you are not fully vaccinated, you can only visit critical retail premises. These are:

  • supermarkets
  • grocery stores
  • shops that mainly sell food or drinks, like butchers, bakeries, fruit and vegetable shops, and delicatessens
  • kiosks
  • petrol stations
  • banks and financial institutions
  • hardware and building supplies
  • landscaping material supplies
  • rural supplies
  • shops that mainly sell:
    • pet supplies
    • newspapers, magazines or stationary (for example, newsagents)
    • office supplies
    • maternity or baby supplies
    • medical or pharmaceutical supplies (for example, chemists)
    • alcohol (for example, liquor stores)
  • post offices
  • garden centres and plant nurseries
  • vehicle hire businesses but not businesses that sell vehicles
  • shops that mainly carry out repairs of mobile phones
  • laundromats and drycleaners.

Ler Mais…

Gabor: adição e trauma

06/10/2021

Gabor é o maior a falar sobre adição. Nesta conversa com Russel Brand, que aprendi a respeitar imenso, supera-se. Não só a voz continua muito agradável de se ouvir, tudo o que diz ser digno de um verdadeiro sábio, mas, acima de tudo, o que revela sobre a relação entre adição, artistas, criativos (músicos, escritores…) e sensibilidade.

“The more sensitive you are, the more creative you are going to be; and the more sensitive you are the more you’re gonna suffer as well, because you’ll feel the pain more. Therefore, the more you’ll feel the need to escape. And that escape from pain is what drives addictions”. 

E sobre o trauma. Sem vitimismos.

Quanto mais ignoramos e negamos o trauma, mais o perpetuamos e o impomos aos outros, para que também o experienciem.

Por esse ser o mundo que conhecemos, emocionalmente, pelo menos.

Reconhecer o trauma e o que fazer com ele, assumindo responsabilidade pela nossa vida. Não somos o que fizeram de nós, mas o que fizemos com o que fizeram de nós.

“Quanto mais reprimidos, mais recompensados são pela sociedade, que lhes atribui mais e mais poder. Esse é o sinal de uma sociedade traumatizada”.

Trump, Hilary, Obama, Thatcher, Blaire.

Esquizofrenia

06/10/2021

Deve ser a mesma esquizofrenia que se acomete do nosso cérebro quando estamos apaixonados.

Só vemos o que queremos.

Isso ou grande parte do mundo ficou com cérebro de mulher, que faz e aceita qualquer coisa para obter a sensação de ligação…

Não que não vejamos, apenas não conseguimos agir com propriedade e convicção suficientes, no sentido de travar comportamentos abusivos, prepotentes, descompensados.

Quando a sensação de ligação, conexão, relação, se baseia em toxicidade, está na hora de cuidar dessa parte que aceita estar numa relação da qual é refém.

*Esta entrevista é de Março de 2010.

Edimburgo

04/10/2021

Nesta altura do ano, era para estar em Edimburgo, a fazer um mestrado em escrita criativa. Que me poria em contacto com o mundo literário do Reino Unido, mercado que muito me interessa. Teria oportunidades únicas, de ouvir lectures de escritores, de acesso a conteúdo a que jamais chegaria pelos meus próprios meios, e de voltar a estudar, desta vez numa universidade digna desse nome. Antiga, linda, histórica, na capital da literatura, cidade que adoro.

Seria um sonho.

O meu plano era ficar um ano em Edimburgo e outro nas Terras Altas, a escrever.

No entanto, o Brexit deu-me cabo dos planos. Alunos europeus teriam de pagar a tuition da qual estavam isentos, enquanto o Reino Unido fez parte da UE. Obrigando todos os estrangeiros a pagar mais do dobro dos britânicos. 24 mil libras/ano só para a Universidade. Fora tudo o resto. Mesmo trabalhando e com bolsas, acho um verdadeiro abuso.

E só se fosse trilhardária aceitaria…

Como Deus escreve direito por linhas tortas, a plandemia e a exigência de passaportes sanitários, testes, vacinas e eventualmente escafandros, para entrar no Reino Unido veio facilitar-me a vida.

Pendências antigas, com terceiros, a resolver em Edimburgo? Impossível, devido à mudança, de um dos intervenientes, para o outro lado do mundo.

Tudo a alinhar-se. Não vou e pronto. O que não quer dizer que não fosse um enorme revés e me deixasse completamente sem perspetiva.

Já voltei do Brasil há 7 anos, estou inquieta para me ir embora outra vez…

Uma viagem a NYC para celebrar meio século de vida mitigaria um pouco esta sensação de impotência, esta ânsia de novidade, esta tendência para o diferente. Mas, mais uma vez, as exigências, totalitárias draconianas e insanas, para viajar impedem-me moralmente de o fazer. Nova Iorque é, nos Estados Unidos, onde a insanidade mais parece descontrolada. Com exigências de vacinas e certificados para tudo e mais alguma coisa, o Biden a querer vacinar turistas…

Resta-nos aceitar o que não podemos controlar, confiar que é por um bem maior, esperar pela explicação do universo.

Chegou-me por email, na semana passada.

A Applied Jungian Studies, com quem já fiz vários cursos, lançou um curso sobre mitologia que vai totalmente ao encontro do tipo de conteúdo onde me apetece mergulhar, em jeito de pesquisa, para me lançar na ficção, assim que tiver despachado o livro que estou a escrever.

Um dois em um

“The images of Myth are reflections of Spiritual and Depth potentialities of every one of us. Through contemplating those we evoke those powers in our own lives to operate through ourselves.” ― Joseph Campbell

Vou estudar um tema que adoro e que me vai ser útil, pessoal e profissionalmente.

Com professores top aos quais só online poderia ter acesso, já que são de várias partes do mundo.

The kind of magic I was so much looking forward to.

Escrever fora de casa é muito mais fácil do que cá dentro. Talvez seja esse o desafio. Provar a mim mesma que sou suficiente. E que a chatice da mundanalidade não é suficiente para me demover.

O assunto Edimburgo/Escócia não está arrumado, mas o timing, decididamente, não é este…

Confiar no processo…

Thomas Mann

03/10/2021

Numa tentativa de voltar a ler em português com regularidade, tentei o Rio Triste do Namora. Devolvi-o às prateleiras do meu pai ao fim de duas páginas. Atirei-me ao Thomas Mann, Morte em Veneza, fininho, para ganhar coragem. Não consegui parar. A literatura a sério tem de ter, para mim, um pano de fundo existencialista. Também leio para me distrair, mas o que me dá particular gozo, e a sensação de que o meu tempo não foi perdido, é o existencialismo. E nisso os germânicos são os maiores.

“O desejo é produto de um conhecimento insuficiente”

“Vê agora que nós os poetas não podemos ser sábios nem dignos”

 

Harry Thomas

02/10/2021

O cidadão (alvo da minha mais recente obsessão) chama-se Harry Thomas. E nem o facto de ter a palavra coaching no título do seu canal de youtube me afastou. Verdadeiro serviço público. Não só como testemunho da insanidade e do abuso de poder perpetrado pelas autoridades com base em ordens ilegais dos governos, mas acima de tudo pelas noções de Direito Comum (mais, este domingo) que veicula nos seus canais.

Algo que me fazia alguma impressão nos comentários aos vídeos do Rui Castro

Gente maior e vacinada, mãe de filhos, sem qualquer autonomia em relação a si mesma. À procura do salvador. A informação é veiculada, nós só temos de a apreender e usar.

Aqui fica o vídeo

error: Content is protected !!