Uncategorized

EU SEREI FELIZ DE NOVO E O GAJO É O MAIOR!

21/03/2005

Ontem senti-me verdadeiramente feliz. Cantei que me fartei com toda a alma na voz e os olhos no palco do Coliseu onde o Djavan brilhou mais do que pude sequer imaginar.

Assim que o concerto começou os meus companheiros de camarote trataram de tirar as cadeiras do caminho, que eu estava demasiado hipnotizada para isso, para que nos pudéssemos mexer à vontade. Já o pessoal lá de baixo parecia que não estava a ver o mesmo concerto que nós. Sentadinhos e muito comportadinhos, já me estavam a dar nervos.

Mas foi só até o brasileiríssimo Djavan sugerir: vamos dançar, gente? E aí o povo acordou para a vida e não se sentou mais. Depois lembra-se de cumprimentar toda a gente da primeira fila, com apertos de mão, e o pessoal delirou. E mais ainda quando lhe deu para pôr o microfone à frente de um ou dois para cantarem, o que fizeram, sem falhar uma única parte da letra. Se havia alguém por conquistar a esta altura do campeonato já não se podia queixar. Houve alturas em que pensei mesmo que o Coliseu ia abaixo.

Sem engonhanços de trocas de roupa e discursos da treta, Djavan e o resto da banda tocaram e cantaram o tempo todo. TODO. Alternando uma música do álbum novo, Vaidade, com um mega sucesso dos anteriores, o concerto foi um verdadeiro show, protagonizado por um gajo que faz tudo na perfeição: canta, com ou sem música, não é para todos, compõe e escreve, e como escreve… Já para não falar na qualidade musical dele e de todos os outros músicos. Como se já não fosse suficientemente bom pela atitude, musicalmente não há nada, nada do que reclamar. UM PODER! E depois tem um filho que valha-me Deus… O Max Viana é um guitarrista de mão cheia. Pôs o pessoal todo a delirar com uns solos de fazer inveja a um Beck qualquer. E o gajo do sax???

Ah 22€ mais bem empregues, sim senhor. Porque eu gosto é disto. Um gajo, uma banda, sem truques, nem grandes merdas, um espectáculo que se deve a eles, ao esforço deles e a rigorosamente mais nada.

E tudo isto com uma humildade, uma emoção e um prazer tão grandes que eu, que sou dada à emoção, já só me estava a ver a subir ao palco e dar-lhes assim um grand’a abraço, vontade de saltar para o colo do Max Viana não me faltou…, e desejar-lhes tudo de bom para a tournée que acaba de começar. E começa certamente da melhor maneira!

You Might Also Like

  • CA 21/03/2005 at 17:53

    E não é que é mesmo?
    Subscrevo…à letra!

  • error: Content is protected !!