Uncategorized

IMPOSTOS

12/11/2004

Qualquer trabalhador consciente, minimamente honesto ou porque não tem outro remédio, tem o dever de entregar as respectivas declarações de impostos, sejam elas de IRS, IVA, IRC…

No meu caso até faço questão, acho é que é preciso fazer um mestrado, quiçá um doutoramento, que um curso só não chega, para perceber a lógica dos quilos de impressos, respectivas cópias e mais os amigos anexos com que a DGCI nos presenteia todos os santos anos. Fora umas sessões terapêuticas com os demais companheiros de resistência fiscal, para elevar o ego, que cá eu sinto-me a pessoa mais estúpida do mundo de cada vez que tenho de enfrentar os papéizinhos rosa, cinzentos…

A entrega da declaração de IRS (até já estou a tremer só de falar nisto…) acontece uma vez por ano, como toda a gente sabe. Ora isto implica que uma pessoa se esqueça de como preencheu os impressos no ano anterior. Temos as cópias, claro, e quando mudam os campos? E quando preenchemos pela Internet? E que mistério está por detrás dos anexos a utilizar? E os descontos, o que é que desconta? E as facturas, quais servem e quais não servem? E o paleio, que é o pior? É que nem com o melhor dicionário do mundo se percebe um tipo de palavreado que só serve é para confundir o contribuinte mais erudito.

E por falar em IRS, o meu reembolso, vem quando? Andam por aí a dizer que está tudo pago… Até agora estou a arder porque entreguei uma declaração de substituição, apenas uns dias depois da primeira, há que dizê-lo. Entretanto já lá vão dois meses, a caminho dos três, que se fala que os reembolsos estão todos pagos. O caraças!!! E a guita, que é bom? Está tudo a dormir??? E já agora, os inspeccionados idem, guita nem vê-la! Vamos lá a acordar minha gente, que o Natal está aí.

Como se isto não fosse suficiente para me arrasar com a boa disposição, e para mal dos meus pecados, este ano declaro IVA.

Começou logo mal. Descobri tal infortúnio tarde e a más horas e só para informar as finanças que passei a declarar mais um imposto larguei logo ali 20 mocas assim, sem dó nem piedade, que até ferve. Não compro eu roupa e andam estes gajos aqui a obrigar-me a pagar uma fortuna por causa de um atrasosinho… Eram dois pares de calças de ganga e ainda recebia troco…

E porquê? Sim, estou para saber porque é que hei-de andar a servir de pombo-correio entre as empresas para quem trabalho e o Estado. Porque raio é que não tratam disso entre eles e me deixam em paz e sossego? Não percebem que é mais uma dor de cabeça? Como se uma vez não bastasse, agora tenho ataques de nervos quatro vezes por ano!

É que o IVA consegue transcender-me ainda mais do que o IRS… Começa porque se paga ao trimestre; os trimestres começam a contar sabe Deus quando; o IVA correspondente aos mesmos é pago dois meses depois; já para não falar no palavreado, que consegue ser ainda mais incompreensível do que o do IRS, se é que é possível; a cada três míseros meses andamos feitos totós de um lado para o outro por causa da entrega das declarações e dos pagamentos; acaba o ano e a praga do IVA continua durante mais meio ano pois mesmo que não se declare este maldito imposto no novo ano fiscal, cancela daqui e entrega dali e andamos nisto até JUNHO!!! Mas esta merda tem alguma lógica?

E a gasolina, acaso dá descontos nos impostos? E os nervos que uma pessoa apanha… Será que os calmantes entram nas despesas? Têm mais é que entrar, há lá sistema nervoso que aguente tanta agitação? E tinta para o cabelo? Ah pois, estou em crer que me aparecem dez cabelos brancos, no mínimo, por trimestre…

Juro que tentei mais uma vez e o máximo que consegui foi preencher a primeira página. Passo para a segunda e pronto. Digam-me lá o que é que custa escrever os impressos em português inteligível, pelo menos, hã?

Vale-me o Tomás… Insulta-me, é certo. Mas aturo! E como se não me chegassem os nervos esfrangalhados e os insultos ainda fico com complexos de culpa por ocupar o tempo de um pai de família consciencioso, que leva com contribuintes o dia inteiro, participa nas tarefas domésticas e ainda tem paciência para me aturar as crises existenciais.

Pronto, deixa lá, imprimo os comprovativos e o doc. para pagamento em casa.

Não!!! Isto não está a acontecer… O meu PC está simplesmente a dizer que o IExplorer efectuou uma operação ilegal e vai fechar… Assim, com este descaramento. E ainda me pergunta se quero relatórios de erro!!! Deves estar a gozar… Quero lá saber dos relatórios de erro, quero é imprimir o papel para pagar e acabar com isto de uma vez!!! Mas que chatice… Bom, vamos lá a outra tentativa que estou cheia de paciência e tenho fé que o que acabou de me acontecer foi só um azar. Site, nº de contribuinte, senha… Olha, ainda agora estavam 380 utilizadores e de repente passaram a estar só 260. Donde posso concluir, e a avaliar pela experiência que acabo de viver, que os IExplorer de mais de 100 internautas foram abaixo, provocando certamente a ira de 100 contribuintes, na pele dos quais não gostava de estar, porque há sempre uma esperança no meu PCsinho que nunca me falhou!!!

Porra! É a terceira vez que tento e não é que o IExplorer persiste em ameaçar que vai fechar e insiste em perguntar se quero um relatório de erro… Olha filho, eu quero é que tu te lixes.

Quer dizer, eu já pouco percebo disto, ando aqui com uma trabalheira do caraças, armada em tecnologicó-ecológica a perder horas a entregar as declarações pela Internet e ainda vou ter de levar com o contribuinte mal disposto e o funcionário solícito, e sempre de bom humor, típico de qualquer repartição de finanças, porque o site não funciona? E depois admiram-se que entre nas finanças já praticamente aos berros com o desgraçado que me aparecer à frente…

Deviam era pagar-me, para entregar as declarações de impostos. E mais uns quantos contos por danos morais, já para não falar nos físicos!!!

You Might Also Like

  • CA 12/11/2004 at 14:59

    Não és a única a sentir-te a mais estúpida do mundo ano após ano ao ter que enfrentar os ditos papéizinhos…

  • error: Content is protected !!