Atitude

28/06/2021

O que faltou ontem? Atitude.

Na vida, não gosto de comparações, de competitividade, porque acho sempre que há espaço para toda a gente, todas as características são um ativo, um bem necessário, e representam coisas que valorizo, dependendo das circunstâncias, do que se quer.  No entanto, e quando se trata de desporto, o objetivo é ganhar, sendo a competitividade inerente ao mesmo.

Vem isto a propósito do jogo de ontem.

De ouvir: deram tudo, não chegou, faltou sorte, eficácia, entre outras consolações.

Estava preparada para perder contra a Itália, não contra os marretas da Bélgica. “São o número 1 no ranking da FIFA”, avisam-me, como se isso me convencesse.

Não jogam nada. E nós perdemos contra eles.

Os campeões europeus em título, com jogadores de altíssimo nível, incluindo o melhor do mundo. De sempre.

Dar tudo não é chutar de qualquer maneira, para as nuvens, só para dizer que se deu tudo. Dar tudo é querer ganhar, fazer por isso, usar a cabeça e o coração. Acho que só usámos o coração, a paixão e a criatividade. Não chegou.

A oportunidade é só uma.

Quem ganha passa, quem perde sai. Se o objetivo é ganhar, há que fazer por isso. E, lamentavelmente, paixão só não chega. Por mais criativos que sejamos. Se a paixão e a criatividade conseguem esconder a técnica que permite a eficácia, então aí temos magia.

Não é segredo, já o tinha dito em relação aos escoceses

A criação e a paixão cativam-me muito mais do que a eficiência e a frieza da razão sem beleza, sem poesia, sem defeitos, até.

Mas paixão sem o equilíbrio da razão é tolice. Tal como razão sem paixão é uma chatice.

Depois de ver o jogo de hoje, entre a Espanha e a Croácia, não tive dúvidas: isto sim é um jogo digno de campeões. Espanha já foi campeã da Europa e do Mundo e a Croácia vice-campeã do mundo.

Atitude, concentração, vontade de vencer, fazer por isso.

Ambas o fizeram, com sangue nos olhos. Além de proporcionarem um espetáculo digno desse nome. Uma maravilha, nenhuma desistiu, lutou até ao fim, com cabeça, tronco, membros e paixão.

Ao contrário daquela chatice que foi o jogo de ontem.

Querem ganhar, não podem brincar, achar que são os reis da cocada preta, nunca dá resultado. Querem ganhar, defender títulos, têm de fazer por isso. Com atitude digna de campeões, sem medos, sem se encolherem, como fizeram contra os alemães, com inteligência e noção.

Fica para a próxima. Siga o Euro. Go England.

*Na imagem, Morata, que ainda por cima é giro que se farta, o miúdo.

error: Content is protected !!