O famigerado capitalismo

14/05/2021

Há um número assustador de pessoas que acredita piamente que o mal do mundo é o capitalismo. Por oposição ao socialismo, imagino…

Não é, é a obsessão por poder e controlo.

Da qual o dinheiro, o capital, é apenas uma das várias vias para esse fim.

Há outras, como o sexo, a ocupação de cargos de liderança, de decisão. O conhecimento, a autonomia psíquica, emocional, o distanciamento emocional pelo excesso de racionalização, entre tantas mais.

É importante, vital, que os indivíduos sintam que têm algum controlo sobre a sua própria vida.

O Ego tem essa necessidade quanto mais inseguro o indivíduo sabe ser-se. E não sobrevive sem essa sensação de controlo.

Nós, como um todo, também não.

O problema é quando passa a obsessão, ultrapassando a necessidade individual de controlo. Sempre que acontece, o desejo de poder e controlo passa a ser não só sobre a própria vida, mas também sobre a dos outros.

Por isso, não interessa que as pessoas tenham autonomia no trabalho que desenvolvem. Pouco importa o mérito, que sejamos autoconfiantes, livres, independentes. Fundamental é infligir medo, minar a confiança, manter as pessoas emocional, financeira ou psiquicamente presas, dependentes.

A obsessão chega a um ponto em que é preferível a resolver problemas, apresentar soluções, ensinar a pescar.

Esse é o motivo pelo qual se paga mal, se controlam funcionários como se fossem crianças, se recompensa quem é alinhado com o sistema, pactua com ele, e se rejeita quem questiona, sai da norma, levanta ondas, não se conforma.

Se protege o coletivo e de desincentivam as iniciativas individuais.

Este vídeo explica muito bem que não há grandes diferenças ideológicas. Muito menos que o socialismo é a solução para todos os males e o capitalismo o grande monstro a abater. Porque o objetivo é sempre o mesmo: poder e controlo.

A forma de o obter é também a mesma: manipulação. Só muda a cenoura…

error: Content is protected !!