Uncategorized

Chama-se Honra…

14/12/2012
Bem sei que é um conceito que, no ocidente, saiu de moda. No entanto, no oriente, ainda há quem se suicide por questões de honra. Foi certamente o que aconteceu com a enfermeira que atendeu a chamada, que se veio a verificar ser uma partida de radialistas australianos, na pele de quem não gostaria de estar, já que falamos nisso. E quem, para fugir à questão, compara a casa real britânica e seus membros, e a profissão de enfermeiro, com os anónimos dos programas dos apanhados, só pode não estar bom da cabeça ou de muito má fé, usando o humor para justificar tudo, para gozar com tudo, nomeadamente com alguém que tinha dois filhos e se matou, na sequência de uma distração, de um engano, que levou à divulgação de informações sobre o estado de saúde de Kate Middleton, em rede nacional, e à consequente humilhação, perante o mundo inteiro.  
Também sei que numa era em que tudo se publica, tudo se partilha, tudo se divulga e se expõe ao mundo, tudo é passível de ser achado interessante, o conceito de decoro passou a ser difícil de entender. Mas ele existe e, no caso da família real, é sagrado. Talvez valha a pena recordar o que acontece quando o direito à privacidade, termo mais abrangente, é violado, e, nesse não tão grande esforço de memória, quem me vem imediatamente à cabeça é a Princesa Diana. 

You Might Also Like

  • Clara 15/12/2012 at 11:02

    errou, até podia ter-se despedido ou whatever. matar-se, uma pessoa que é mãe, porque cometeu um erro profissional…acho lamentável. e a família real inglesa, enfim, não é sagrada. tenho esta teoria de que quando uma pessoa quer mesmo ter privacidade, arranja maneira. agora que os tabloides não têm dinheiro para mandar cantar um cego, mais ainda.

    • Isa 15/12/2012 at 22:43

      o que escrevi foi q era o direito à privacidade que é sagrado e que para a família real britânica mais ainda (e nao a familia real que é sagrada). fora que uma pessoa é uma pessoa a família real e seus membros é outra, a vida deles é alvo de mto mais atenção do que a tua ou a minha. qq coisa que façam está nos media e a questao é precisamente essa, eles protegem-se, têm acessores de imprensa e

  • S* 15/12/2012 at 20:23

    É a tal coisa, toda a gente acha impossível a senhora ter-se matado só por causa disso. Eu não acho. Foi uma vergonha, uma humilhação, foi gozada em todo o mundo. A honra falou mais alto. :(

    • Isa 15/12/2012 at 22:39

      tb acho… e ela era indiana, eles pensam, agem e comportam-se de forma completamente diferente dos ocidentais, a cabeça deles funciona de forma diferente da nossa…

  • Jorge Ventura 16/12/2012 at 01:44

    acredito que no ocidente ainda haja quem seja levado ao suicídio por questtoes de honra. Não acho que seja uma coisa muito recomendávrl ams a esta hora a ideia de que deste lado do mundo algu+em ainda possa sentir vergonha e desonra suficiente para se matar oh pá não sei já bebi demais hhoje

    • Isa 16/12/2012 at 02:32

      :D tb acho que nao nem sequer "aprovo". mas continuo a achar lamentável a perda de sentido da honra :)
      Bons copos! estive com uma ressaca absurda, dormi o dia todo e agora tou aqui cheia de energia, o diabo…

  • Mariam 17/12/2012 at 12:38

    A enfermeira que se matou nem foi a que deu as informações, foi apenas a que atendeu a chamada e a passou à colega faladora. Independentemente da cultura e da educação que a senhora tinha, o mais certo era estar deprimida e este assunto serviu de mola – ou não. Pode ter sido uma coincidência. Na verdade, não li nada a gozar com ela, quanto muito com a própria casa real, que se resguarda tanto e

  • error: Content is protected !!