Traduções de Artigos de Psicologia

Como deixar cair as expetativas?*

24/09/2013
Já há pressão e expetativas suficientes na nossa vida para que precisemos de as empilhar nas costas. É impossível tentar agradar a toda a gente e tendemos a ser os nossos piores críticos à medida que nos sobrecarregamos com demasiadas expetativas irrealistas. Abandonar estas expetativas pode libertar-nos para que nos sintamos mais felizes em relação a nós mesmos, em vez de lutarmos constantemente para sermos perfeitos. Aqui fica algo que nos pode ajudar a deixar cair as expetativas:
Olhe para quem está a fazer as coisas: porque se esforça tanto por ser perfeito? Para quem o faz? Examine as áreas da sua vida nas quais está a pôr muita pressão em si mesmo para que seja perfeito. Está a fazê-lo por si e para se validar? Ou está a fazê-lo para agradar a outra pessoa, para parecer bem aos olhos dos outros ou para impressionar, de certa forma, outra pessoa? Muitas das raízes das nossas expetativas estão no desejo de agradar e parecer bem aos olhos dos outros. Se não estiver a fazer algo por si, é uma boa ideia parar de o fazer, ou pelo menos não se esforçar tanto para o fazer.
Aja por si: faça coisas considerando os seus próprios valores e o respeito por si próprio, e por o fazerem sentir-se bem em relação a si mesmo. Não faça coisas para impressionar os outros ou para moldar a perceção que os outros têm de si. O que realmente importa é o que pensa a seu respeito, não o que os outros pensam. Também não podemos controlar os pensamentos e perceções dos outros, daí que pode estar a matar-se para impressionar alguém sem sequer obter os resultados que pretende. Faça as coisas por si, quer os outros gostem ou não, ficará feliz consigo mesmo.
Pare de se comparar aos outros: estamos constantemente a olhar para os outros e a fazer comparações para ver se lhes correspondemos. E por sermos os nossos juízes mais severos, normalmente não correspondemos. O que alimenta a necessidade de fazer mais e de nos esforçarmos mais para sermos tão perfeitos quanto achamos que os outros são. A primeira coisa a perceber é que as pessoas com as quais nos comparamos têm tantos defeitos quanto nós, ou quanto qualquer outra pessoa. Depois, tente parar de se comparar. Você é único, não há mais ninguém igual a si, então, tentar ser como outra pessoa é uma batalha que nunca irá ganhar. Em vez de se comparar com os outros, olhe para dentro e tente ser a melhor versão de si mesmo.
Seja realista: vota-se ao fracasso ao criar expetativas que não são realistas. Não quer dizer que deve ter expetativas baixas em relação a si mesmo, mas que precisa de ser mais realista e aceitar fazer apenas o seu melhor. Esperar perfeição é apenas uma forma de garantir que falhe, porque, enquanto humanos, nunca seremos perfeitos. Em vez disso, peça-se que tente fazer o seu melhor e irá provavelmente ficar mais satisfeito com os seus esforços do que se tivesse tentado ser perfeito.
Fale com os seus amigos: eles também não são perfeitos. Quando tenta concretizar alguma coisa, olhar numa direção determinada ou ser capaz de fazer alguma coisa que acha que não consegue, tente falar com os seus amigos sobre isso. As probabilidades são de que eles estejam a lutar com mesmas coisas e também sentem que não irão corresponder. Ouvir outras pessoas falar de lutas similares ajuda-o a perceber que toda a gente se está a esforçar ao máximo e que ninguém é perfeito. E se acha que os seus amigos são fabulosos apenas por serem quem são, então deve ser capaz de sentir o mesmo em relação a si.

*Via

You Might Also Like

error: Content is protected !!