Traduções de Artigos de Psicologia

Como parar de querer agradar constantemente*

23/05/2013
Cede sempre ou deixa que outras pessoas escolham, ou esconde o que pensa, ou nunca pede para que as coisas sejam como quer? Talvez tenha medo que os outros não o aprovem ou de desapontá-los, e a última coisa que quer é ver alguém furioso. Se este perfil o descreve, então pode ser que seja alguém que quer agradar constantemente (ver mais aqui)… E talvez esteja na hora de se assumir. Estas dicas podem ajudá-lo:
1. Pense em cinco ocasiões em que disse ou fez alguma coisa que não ia ao encontro do que queria ou das suas necessidades, mas que ignorou para agradar outra pessoa. Agora, tire um tempo para pensar o que poderia ter feito para conseguir o que queria, em vez de se encolher. Pergunte-se: qual é a pior coisa que poderia ter acontecido? Quais eram os meus piores medos? Eram realistas?
2. Avalie os seus medos de forma equilibrada: seria assim tão horrível se um amigo ficasse aborrecido? Precisa desse tipo de pessoa? E se ele se afastar? Há muitas outras pessoas que não exigem submissão, ao invés, o aceitarão e o respeitarão por quem e pelo que é. 
3. Olhe para a sua capacidade de estabelecer limites: pergunte-se: que pedidos e comportamentos são inaceitáveis para mim? Consegue separar o que é natural do que não é razoável? Sabe o que significa ser tratado com respeito? É capaz de dizer que não e estabelecer bons limites?
4. Olhe para os seus antecedentes e para a sua vida familiar: muitas das pessoas que querem agradar constantemente foram criadas em famílias que esperavam submissão total, daí que as suas necessidades não foram consideradas. Ao invés, era esperado que alinhassem, que guardassem o que sentiam para si, que fizessem o que os outros queriam, e não pedissem nada. 
5. Não faça a sua auto-estima depender dos outros: é bom ser querido e pensar nos outros, mas você deve fazer isso por escolha sua, não por uma necessidade de aprovação. E se deixa que outras pessoas determinem o seu valor, então nunca se libertará ao ponto de ser um indivíduo único.
6. Aprenda a dizer não sem dar explicações: não pense em explicações, se justifique ou explique os seus motivos, nem peça desculpa. Ficará surpreendido com o facto de raramente as pessoas se ofenderem. E se se ofenderem, não são certamente as pessoas a quem quererá agradar!
7. Comece a pedir o que quer: comece a partilhar as suas opiniões, desejos e ideias. Comece por alguns pedidos e por discordar dos outros. Somos todos seres individuais, com preferências diferentes, e as relações saudáveis baseiam-se em dar e receber.

*Via (tradução minha)

You Might Also Like

  • maria madeira 23/05/2013 at 19:19

    Um tema bastante interessante este. E complicado de gerir.

    Se por um lado se dá o caso de uma pessoa dizer tudo o que pensa, sem se importar de agradar a terceiros, pode ser rotulada de arrogante e por aí fora. Se por outro lado, tenta agradar sempre, pode ser rotulada de pessoa submissa, com fraca personalidade, fácil de dar a volta, digamos assim. Pode revelar também insegurança e

    • Isa 23/05/2013 at 19:27

      Maria, ninguém neste mundo diz tudo o que pensa, por acaso acho que um gajo que conheci andava perto, mas mesmo assim. Até porque hoje, porque estamos mal dispostos, pensamos uma coisa e amanhã, quando já nos passou a fúria, pensamos outra. E mais, esse povo que se esconde na "sinceridade" e na "honestidade" pra justificar as merdas que diz pela boca fora é apenas mal educado

    error: Content is protected !!