Traduções de Artigos de Psicologia

Descobrir qual é a sua verdadeira paixão na vida*

25/09/2013
1. O que lhe põe um sorriso na cara? Há algum evento, tema em especial que faz com que todo o seu rosto fique mais leve? O que quer que seja que o faça sorrir e o faça feliz, onde quer que esteja, é um sinal de que é algo pelo qual é apaixonado.
2. O que acha fácil? Normalmente, o que nos é fácil fazer está relacionado com a nossa paixão. É muito difícil odiar algo que é muito fácil para nós!
3. O que faz a sua criatividade pulsar? Pense em algo na sua vida onde parece que está sempre a alargar horizontes, em que as ideias novas, divertidas e estimulantes relacionadas com esse assunto brotam constantemente. O que quer que o torne criativo é provavelmente algo pelo qual é muito apaixonado.
4. O que faria de graça? Fazer algo pelo qual somos apaixonados traz o melhor de nós à tona, o que leva à grandeza. A grandeza é a brisa para o sucesso. Pense em algo que adora fazer, mesmo que não seja pago. Pense em algo que anseia fazer, algo que deseja poder fazer o tempo todo.
5. Sobre o que gosta de falar? Os tópicos das conversas que temos conseguem decididamente dizer o que nos interessa na vida, o que é uma boa forma de descobrir do que realmente gostamos na vida.
6. O que o faz não temer o falhanço? Quando fazemos algo pelo qual somos apaixonados, temos total confiança nas nossas capacidades. O que faz com que não nos preocupemos em falhar, porque, na nossa cabeça, como podemos falhar quando fazemos algo que amamos?
7. Do que se arrepende de não ter tentado? Se estivesse no fim da vida, do que se arrependeria de não ter corrido atrás? O que gostaria de ter feito, que não teve oportunidade? Pense no que seria. O que quer que seja que lhe cause arrependimento agora ou mais tarde por não ter tentado, tem boas probabilidades de ser a sua verdadeira paixão.

*Fonte

You Might Also Like

  • Ana 25/09/2013 at 21:05

    É tão fácil, tão fácil para mim responder a essas perguntas todas, sem hesitar ou pestanejar: a dança! A dança sempre foi a paixão da minha vida, desde que me entendo por gente, e se há coisa que lamento mesmo é ter sido "obrigada" a deixar a dança há 11 anos atrás (pelo menos naqueles termos), porque infelizmente este país obriga-nos a fazer muitas coisas que não queremos.

    • Isa 25/09/2013 at 21:08

      Baby, do it for pleasure :) for your own self :) e que lindo ser a dança, é altamente libertador…

    • Ana 25/09/2013 at 21:10

      Claro, isso é sempre que posso:) Mas não é a mesma coisa…

    • Isa 25/09/2013 at 21:18

      e agora fiquei curiosa para saber que tipo de dança… :)

    • Ana 25/09/2013 at 21:26

      Acho que fiz de tudo um pouco (ballet, jazz, danças de salão e afins), mas assim a sério mesmo, com agenda e ordenado, foi com o ballet flamenco.

    • Isa 25/09/2013 at 21:28

      opá que lindo… VOLTA! :D

    • Ana 25/09/2013 at 21:34

      Ah não dá, a disponibilidade necessária é muita, são muitas horas por dia, não dá para conjugar com outro horário de trabalho normal, não tinha vida para isso agora. Fico-me pelas festas, de vez em quando, para matar saudades:)

    • Isa 25/09/2013 at 21:36

      :)

    error: Content is protected !!