Uncategorized

E um e dois e três e vai…

01/02/2005

Pois é. Agora que deixou de fumar sente uma energia extra, à qual não sabe o que há-de fazer, que acha que precisa de canalizar para um lado qualquer e mesmo assim sabe Deus, não é? Eu bem lhe disse que fizesse desporto. Não me venha com as tangas do trabalho e da falta de tempo e mais não sei quê. Aviso-o que o melhor é arranjá-lo, isto se não quiser acabar com as malinhas à porta, que ninguém está para aturar os seus nervos.

Faça uma coisa de que goste. Se não, não vai ter paciência para continuar. Ora pense lá, mas pense rápido, que desporto é que gosta de fazer e pratique pelo menos 3 vezes por semana. Não se esqueça que o objectivo é libertar energias, toxinas e acima de tudo esse nervoso miudinho que sente desde que deixou de fumar. Até me pode dizer que não sente mas experimente perguntar aos que têm de o aturar todos os dias e vai ver. Se lhe disserem que não, então só tenho de lhe dar os parabéns por conviver com pessoas tão simpáticas.

Assim à laia de inspiração, posso-lhe contar a minha experiência que tem sido menos má.

A verdade é que gosto de fazer desporto. Não aquela seca das máquinas, que é sempre igual e não dá para uma pessoa se abstrair. A piscina também me dá uma seca tremenda e agora no Inverno então é que não me apetece mesmo nada enfiar-me naquele aquário de bafo a cloro, e muito menos dar cabo da pele à conta do desinfectante.

Como gosto mesmo é de me mexer e tenho daqueles cartões que dão para fazer tudo, e já que decidi que agora que sou saudável vou fazer desporto até rebentar, compus o meu horário de maneira a ir ao ginásio, nas seguintes modalidades: Body Pump, Body Step, Body Balance e RPM.

Já nem me lembro da última vez que entrei num ginásio sem ser no Brasil. Ouvi falar e experimentei pela primeira vez na vida fazer Body Pump na Academia onde a minha cunhada costuma malhar. O Body Pump consiste em pegar em pesos de quantos quilos se aguentar, pô-los numa barra, qual halterofilista, e siga para a frente e para trás, para cima e para baixo, para a esquerda e para a direita, que a gente quer é pernas com músculos e ficar boazudas, que o Verão está aí não tarda nada. Fiquei dois dias a ganir de cada vez que me levantava e sentava mas gostei. A Andreia era uma simpatia, tratava-me pelo nome, estava o tempo todo a dizer piadas, que punham toda a gente a rir, o que tornava a coisa não propriamente leve, mas menos dolorosa. A música estava sempre aos gritos e ela usava aqueles microfones modernos que se prendem na orelha, à Madonna, para se poder fazer ouvir. Gostei da Andreia e gostei do Body Pump. Ainda pensei experimentar Body Balance mas não houve oportunidade e desde então, meados de Dezembro, nunca mais fiz nada. Antes disso, tenho uma vaga ideia de que foi em 2001, mas não posso jurar. Três anos sem fazer rigorosamente nada pelo corpinho a não ser fumar, beber copos, fumar e sabe Deus o que mais.

Pois caro amigo, no passado dia 31 de Janeiro comecei a fazer desporto e aproveitei e já não fumei nesse dia. Comecei pelo Body Pump. O Pedrosa (!) – foi assim que ele se apresentou: eu sou o Pedrosa… – também tinha daqueles microfones modernos mas não sei porquê os professores gostam mesmo é de gritar que nem uns desalmados. Também me irrita a mania que todos têm que têm de ser sempre bem-dispostos e que têm piada. Outra coisa que constatei é que tratam o povo, que vai para lá partir pedra, que nem cães… Passo a explicar: sempre que está prestes a mudar um exercício, em vez de serem três vezes para a esquerda são três vezes para a direita ou assim, eles avisam com uma assobiadela daquelas bem altas. Cá eu só consigo assobiar assim tão alto com os dedos mas eles não. Devem ensinar isso lá nos cursos de Body…

Fiiiiiiiiiiiiiiiiiiiuuuuuuuuuuuuuu! Olha agora, e vai e um, e dois, e três, e mais rápido, vamos embora!!! Tudo isto aos gritos.

Ainda agora aqui estou a tremer, mesmo com um quilito de cada lado da barra, que não sou louca e muito menos quero ser um Silvester Stallone, Deus me livre. Aldrabei como o caraças na parte das flexões e um bocadito na parte dos abdominais. Sinto que mais uma semaninha ou duas e já posso trabalhar na estiva.

No dia seguinte foi a vez do Body Step. Já tinha feito Step mas Body nunca. Vai-se a ver e é exactamente a mesma coisa. Sem a parte do colchão que inclui abdominais, os quais dispenso sempre que posso. Isso é que me fartei de curtir e de soar as estopinhas aos saltos de um lado para o outro do step. O que me valeu foram as aulas que tinha tido aqui há uns anos. A coordenação fica-nos sempre e só temos é de aprender os esquemas.

Olh’ós braços, Olh’ós braços!!! Ó filho, deixa-me atinar primeiro com as pernas e já lá vou aos braços, pode ser? A não ser que me queiras vir aqui explicar como é (é pouco giro o gajo é…)! Também grita que nem um louco. E também usa o microfone moderno. Mas estou em crer que aquilo é só para o estilo, que até agora ainda não vi nenhum funcionar. Também nos trata que nem cães, fiiiiiiiiiiiiiiiiiiiuuuuuuuuuuuuuuu!

Não contente com isto ainda me pus a fazer mais Body Pump, no mesmo dia, umas horas depois. Ao fim de 10 minutos já começava a achar que não me devia ter metido naquilo. Os meus bracinhos tremiam tanto que estava a ver que levava com a barra e mais os pesos em cheio no nariz.

O microfone também não funcionava, O professor também gritava, ainda por cima estava sempre cheio de pressa – porque é que estes gajos, se querem que o povo acompanhe a música, não a põem na pausa para a gente ter tempo de se recompor? – não era propriamente giro, insistia em tentar ser engraçado mas, vá lá, não assobiava. E pôs-se-me para lá a dizer que eu, a senhora – ainda por cima chama-me senhora… – da fita vermelha tinha de ter atenção às costas… Já tinha sentido isso no Brasil. Mas o Pedrosa explicou que é como se nos estivéssemos a sentar numa cadeira, com o rabo bem encostado lá atrás, e as costas esticadas para a frente. De cu espetado, basicamente. A ver se para a próxima lá chego. É os pesos, é as costas e não sei se a minha cabeça dará para tudo…

Amanhã vou finalmente experimentar o Body Balance, que tenho muita curiosidade. Parece-me um bocado paradão e o pessoal tem de se descalçar, nem sequer há janelas no ginásio, mas deve fazer bem ao espírito.

Pode ser que me invada tanto o espírito que elimine de uma vez as ganas de fumar que me dão de vez em quando.

You Might Also Like

error: Content is protected !!