Livre

Fama e Anonimato*

06/09/2016

Ontem li um tuite** da Tina sobre o anonimato da Ferrante. Sei que fiquei a pensar naquilo porque era o que adoraria para mim. let itNão me consigo lembrar das justificações da Tina para o facto, e ela deve ter mais que fazer e não está no tuito para me acudir no momento em que escrevo, mas sei quais são os meus motivos, ser deixada em paz, escrever o que e sobre o que me apetecer, sem ser julgada por isso, sem ser apontada na rua, cobrada, sem que se conote o que escrevo a mim, apesar de toda a escrita ser autobiográfica, mesmo que não vivida, porque é muito fácil tomar o todo pela parte e tal. Gosto da aura de mistério pelo mistério, não por uma questão de marketing, da ideia de ser um personagem, é por isso que escrevo, se gostasse de palcos e de holofotes teria sido atriz, ou estrela do show biz. Também porque me pouparia à parte que menos me atrai nesta vida, a de interagir com pessoas, apesar de gostar de saber que as ajudo, contribuo positivamente para as suas vidas, apesar de precisar desse retorno, de ele me saber bem, sempre é mais nobre do que escrever só para mim, para meu benefício exclusivo. E talvez ficar por aí, não gosto de discutir o que escrevo, sequer falar sobre isso, sai-me das entranhas e do pêlo, é suficiente, só consigo ser visceral. Gosto de ambientes privados, restritos, tenho fobia de multidões e de exposição, apavoram-me. A minha introversão ainda um dia me há de matar. O anonimato da Ferrante também me garante que afinal não precisamos de nos expor às multidões para vender, fazer sucesso, ser best sellers. Também sei que o tuite da Tina sobre o anonimato da Ferrante, que ninguém sabe quem é, não dá entrevistas, tudo é feito no maior secretismo entre ela e a editora, me tocou porque acabei de me lembrar que sonhei com ela hoje, a Ferrante, que era um homem, com cara de pedófilo e pinta de ator de vídeos pornográficos série B, aqueles em que não se vê nada, só o ato em si, gordinho e de óculos completamente fora de moda, na ponta do nariz, sempre suado, na testa e debaixo dos braços. Uma fraca figura. E estou apavorada, temendo seriamente pela minha vida. 

**Adenda: não foi um tuite, foi um post.

*Título roubado ao enorme Gay Talese

You Might Also Like

  • Tina Lopes 06/09/2016 at 18:55

    Tadinha da Ferrante! Não, não pode ser alguém assim. Ou pode? ;)
    Enfim, o anonimato é uma grande ideia.

    • Isa 06/09/2016 at 18:57

      Não é, com certeza, coitada da senhora. Este sonho diz muito mais sobre mim do que sobre ela, é isso que me apavora, g-suis…

    error: Content is protected !!