Uncategorized

Knight Rider

23/02/2012
Li por aí uns comentários infantis e irresponsáveis sobre o facto de não sei quem ter sido absolvido por falta de provas. É por isso que não é qualquer um que pode ser juiz, é por isso que existem pessoas especializadas para julgar e condenar outras pessoas. Porque se o critério fosse julgar e condenar a nosso bel prazer havia um monte de gente que mandaria prender só porque me chateia. A justiça popular é isso mesmo, popular. Dependeria da capacidade de manipulação de cada um, dependeria dos ódios pessoais de cada um, dependeria do nosso mau acordar. A justiça não serve para resolver as questõezinhas pessoais de cada um. A justiça não é uma questão de opinião, essa merda qualquer um tem. A justiça precisa de fazer prova de que alguém cometeu um crime para poder condená-lo. É assim que funciona, a idade média já lá vai há mais de 500 anos e a vida não é o recreio da escola. 

You Might Also Like

  • Izzie 23/02/2012 at 17:27

    Não sei se já te disse, mas tu és espectacular.
    (e resumiste muito bem o que eu diria, mas com mais asneiradas e chamando porteiras ou taxistas aos autores de certos comentários que li. sou uma malcriadona de pavio curto, nada a fazer)

  • Isa 23/02/2012 at 17:30

    :D exatamente, porteiras e taxistas, que corja…
    Valeu!

  • Rainha ST 23/02/2012 at 18:42

    Concordo plenamente, podemos ter opinião,se achamos justo ou se gostaríamos que o desfecho fosse outro, mas as coisas não são assim tão simples e tão lineares, mas infelizmente a culpa muitas vezes, senão a maior parte das vezes é da comunicação social que exalta os factos e é tendenciosa, assim como, os programas que são exibidos na nossa televisão para as sopeiras e afins.

  • Isa 23/02/2012 at 18:44

    a comunicação social só quer audiência, o povo só come se quiser.

  • Bella 23/02/2012 at 19:28

    Não será um bocado naive achar que os juízes não têm ódios pessoais, não têm mau acordar, não lêem jornais? Acho que nos casos “mediáticos” é difícil ir para um julgamento como “uma tábua em branco”. Ninguém é uma tábua em branco. Os juízes são pessoas normais, com convicções e com determinado enquadramento familiar e cultural que, naturalmente, condiciona a sua visão dos factos e a formação da convicção no processo. É por isso que há recursos.
    Quanto aos mais, concordo, em parte, com a Rainha ST quando diz que a única opinião que podemos ter é sobre se achamos justo ou injusto o desfecho, que não é o mesmo que dizer que é correcto ou incorrecto do ponto de vista estritamente técnico-jurídico. Para esta outra análise – essa sim, séria – teríamos de ler o acórdão… o que não fazemos.

  • Isa 23/02/2012 at 20:11

    por isso mesmo é que eles se baseiam em leis, códigos, e provas. e nao em opinioes pessoais.
    e é por isso que tu nao és juiza
    e é por isso que os julgamentos sao à porta fechada e graças a deus nao vivemos nos estados unidos, em que as cisas sao decididas com base na capacidade de manipulação de uns e nas questoes pessoais de outros e na culpa que sentem ou nao em relação a determinadas questoesinhas pessoais

    responder a um comentáio começando por qualificar quem escreveu o post de naive não é um bom começo de conversa.desta vez passa…

  • Isa 23/02/2012 at 20:15

    ah, e o ponto de vista nunca é estritamente técnico ou jurídico, pra isso nao existiam juizes, pra isso liamos os codigos e aplicavamos as leis

  • Aflito 23/02/2012 at 20:28

    Eu tinha bué jeito para juíz. E político corrupto também! :|

  • Bella 23/02/2012 at 21:01

    Peço desculpa, não queria ser ofensiva. Queria apenas ver os dois lados da questão: o dos juízes que, sendo pessoas normais, também erram; e o dos “não-juízes” que, não conhecendo, regra geral, o cerne do processo, não podem fazer uma avaliação séria do desempenho da justiça. Mais uma vez, peço desculpa. Não era meu propósito ofender ninguém. Espero que não se ofenda com uma pequena correcção: os julgamentos são, regra geral, públicos e, portanto, “à porta aberta”, como nos Estados Unidos.

  • Isa 23/02/2012 at 21:29

    os mediáticos sao à porta fechada, quem decide é o juiz mas em princípio decide assim, para que a imprensa nao monte o circo nas salas de audiências.

  • Mariam 23/02/2012 at 22:06

    Este post eu gamava-to, Isa, é que este post devia fazer doutrina e jurisprudência. Ainda to linko…

  • Isa 23/02/2012 at 22:08

    :) gama, sem medos :D

  • Mariam 23/02/2012 at 22:29

    done! ;-)

  • RBM 23/02/2012 at 22:33

    in dubio pro reo. princípio basilar do direito penal que ninguém se dá ao trabalho de explicar o que é.

  • Isa 23/02/2012 at 22:37

    exato!

  • Anonymous 24/02/2012 at 17:19

    Vão anular o processo, porque será ? será que há sempre alguem que fala de mais..

    • Isa 24/02/2012 at 17:21

      o que é anular um processo?

  • Diana 24/02/2012 at 17:49

    Também não percebi a revolta. Só fico triste pq os pais do miúdo foram arrastados nesta loucura e, acho, acharam que iam ter uma resposta. Depois deste sofrimento todo, ficaram na mesma. Só queria perceber, porque é que foram julgar o homem depois de tantos anos. Enfim… Se a justiça fosse feita pelas mãos do povo, estávamos feitos, é o que é. A culpa disto é da internet e deste acesso

    • Isa 24/02/2012 at 17:55

      também não sei, Diana, podem ter sido os pais a pedir a reabertura do processo por descoberta de novas testemunhas, na verdade não sei. tb tenho imensa pena daquela senhora e de precisarmos de achar culpados para ficar em paz. e entendo-a perfeitamente, é inaceitável perder um filho como ela perdeu. sinto imensa compaixão por ela e entendo que seja a causa da vida dela, tentar entender o que

    error: Content is protected !!