Livre

Os homens não são ridículos*

06/11/2015

As diferenças entre homens e mulheres podem até ser culturais, históricas e tal, mas são, acima de tudo, passe o tempo que passar, biológicas, emocionais, caramba. Nós funcionamos de maneira diferente, seja na intimidade, seja em tudo o resto. Aceitemos a diferença, resolvamos nas nossas inseguranças, e convivamos da melhor forma possível, homens e mulheres. De preferência, homens COM mulheres, que assim é que é bom.

Imaginem, por um segundo, que um autor conhecido publicasse esta semana – logo esta semana! – um artigo intitulado “Por que as mulheres são ridículas? ”, enumerando aspectos negativos do comportamento feminino. Soaria como insulto, não? Pareceria provocação. As pessoas esclarecidas diriam tratar-se de um machista, cujos argumentos, embora de aparência racional, estão amparados em preconceito e ressentimentos. O sujeito seria destroçado.

Num mundo machista, acho que existe progresso quando mulheres influentes se sentem livres para publicar grosserias sobre os homens enquanto os homens de mau gosto são obrigados a conter seu desejo de atacar as mulheres publicamente. É um progresso, mas, francamente, podemos fazer melhor do que isso. Homens e mulheres.

Digo e repito até à exaustão: eu não quero viver num mundo em que as mulheres dominem os homens, os controlem, façam deles uns tontinhos ao seu serviço, isso é coisa de gente doente, não vai dar certo, não funciona e só leva a mais e mais extremismo, ressentimento, traição, infelicidade.

O negócio não é competir, ver quem é melhor, peloamordedeus, isso é absolutamente primário. Em vez de diferença de género, passemos a falar de compatibilidade de género. E essa não se mede pela presença ou ausência de um pénis, se assim fosse, todos serviam e nenhum servia, é bem mais complexa, dá muito mais trabalho. Vejam lá isso…

*Ivan Martins

You Might Also Like

  • Clara 06/11/2015 at 16:55

    Clap clap clap!
    É tao isto!

  • error: Content is protected !!