Me and Mr Freud

Pleased to meet you*

05/05/2014

Desde que o meu irmão mais novo tomou para si tudo o que foi considerado válido na civilizaçãoTom_Hiddleston_as_Loki_op_800x583-e1304355515953 ocidental, que me encontro renegado, Dr. Freud. Fui votado à escuridão. Eu e o meu outro irmão, o mais emocional de nós todos, e é nela que vivo. Faço parte do mundo interno, não tenho muito jeito para me relacionar com o externo. Ainda assim, preciso de tomar o leme nas mãos, sempre que me encontro ameaçado, ou seja, sempre que não me reconhecem como parte de um todo. […]

Dizem muita coisa sobre mim, chamam-me diabo, capeta, a encarnação do mal, Lúcifer, o senhor sabe… Não sou tudo isso, a verdade é que eu ameaço a ordem instituída, as sociedades controladas, as cabeças cheias de razão, o mundo coletivo em geral. É a crença ilusória instituída à força: se não reconheces o “mal” em ti, pode ser que ele não te pegue. Só me dá vontade de rir… […] “Se fizermos tudo certinho, ficamos tranquilos, não temos chatices”. Adoro… […]

Nas representações ficcionais que fazem de mim, apresento-me normalmente de preto e sou responsável pela apatia, pela inação, pela preguiça, pela procrastinação, pela crítica permanente e constante, pela má língua, pelo deita abaixo. Estou em cada apontar de dedo, esse sou eu e estou no leme.

Seu,

Hades

*Inspirado na música: Sympathy for the Devil, dos The Rolling Stones.

You Might Also Like

error: Content is protected !!