Uncategorized

Prato cheio

06/07/2013
O gajo deu-me na cabeça, e não foi pouco, com desejos de boa viagem. Queria certamente deixar-me meio assim, talvez para que fosse isso que me ficasse mais fresco na memória, em jeito de reminder. Sugeriu, por isso, mandar-me embora antes da hora. Como faltavam 10 minutos, e não queria deixar isso pendente disse-lhe que não lhe tinha falado dos meus sonhos. Como tive de escolher, e por ser o único recorrente do qual me lembrava, contei-lhe o dos óculos escuros. Os dois. Quando me pediu para repetir – na verdade o que ele queria era que eu desse atenção a esse detalhe – qual era o cenário do primeiro sonho, pormenor sobre o qual em momento algum me detive – a não ser pra pensar que lamentavelmente nunca tinha lá posto os pés – e que, por mero acaso ou num leviano ato falhado, me esqueci de mencionar no post correspondente, até me vieram as lágrimas aos olhos… 

You Might Also Like

error: Content is protected !!