Uncategorized

Quando sabes quem és

08/11/2012

Quando sabes quem és, podes romper compromissos que em tese poriam a tua palavra em xeque. Compromissos assumidos de boa fé, a que nos diz que é um abuso o que estamos a pedir, a sugerir, sem que o tenhamos de verbalizar, de o propor de facto, sem precisarmos que o outro nos diga que não, a nossa noção das coisas chega-nos, mesmo que o outro, por um motivo ou por outro, se proponha fazê-lo. Quando gostas não permites que o outro exerça atos de violência sobre si mesmo, só para poderes levar vantagem, satisfazer um capricho.


Quando sabes quem és reconheces que o compromisso que assumiste te violenta, que com quem o celebraste não está tão de boa fé quanto tu, que defende coisas diferentes das tuas, que o seu conceito de boa fé é meio distorcido, é por isso que é, inclusive, previsto e definido nos códigos que regulam os direitos em sociedade.


Quando sabes quem és consegues dizer que não ao que já tinhas dito que sim, porque o mais importante é que não te violentes, é que não permitas mais que abusem de ti, da tua boa vontade, do teu sentido do dever, da tua honra, que prezas acima de tudo. Uma pessoa sem honra não tem nada. Uma pessoa sem dignidade perdeu tudo, perdeu o norte, o sul, o rumo, a noção das coisas. Perdeu a bússola interna, o compasso que aponta a direção certa está sintonizado noutro lado qualquer que não o seu centro.


Quando te conheces o suficiente para saber que a tua honra não será abalada, que a tua palavra continua a ter o mesmo valor, desfazes um compromissos que assumiste, num ímpeto, numa tentativa de retribuir o que fizeram por ti. Quando te conheces permites-te perceber que o preço que estás a pagar é alto demais. Quando te conheces, dás-te ao luxo de voltar com a palavra atrás, dizer não, sugerir algo que seja equilibrado, sem que isso abale a tua estrutura, sem que isso te torne mal vista perante os olhos dos outros, para que possas ser melhor vista perante os teus, por venceres mais uma batalha, por teres aprendido uma grande lição, por te conheceres mais um bocadinho, por teres aberto mais uma gaveta e deixado sair mais um fantasma. Quando te conheces dás-te ao luxo de ser livre, porque não há convenções que cheguem para compensar atos de abuso, de violência sobre ti mesma.


Quando sabes quem és, sabes quem estás a satisfazer, se o ego se o self. É quando te apercebes que é o ego que estás a satisfazer, a persona, que és livre o suficiente para voltar atrás, preservando o teu self, o único que importa preservar, o ego e a persona que aprendam a viver com isso, nomeadamente para não cair noutra, nunca mais… 

You Might Also Like

  • Espiral 08/11/2012 at 10:26

    Concordo tanto.

    "Uma pessoa sem honra não tem nada."

    Bom. Muito bom.

  • error: Content is protected !!