Uncategorized

Rótulos 1/2

29/08/2013
Talvez rotulemos os outros, e a nós, como mecanismo de defesa, para nos protegermos, eventualmente numa tentativa de resgatar uma identidade nebulosa. 
Enquanto o problema está no outro, estamos nós bem. Numa tentativa de controlo, imprimimos o selo que melhor nos convier e ou abandonamos ou combatemos ou abraçamos o portador do rótulo. Os rótulos ajudam-nos, seja por identificação seja por repulsa, a sobreviver. 
Os rótulos trazem atrás de si uma série de características que identificamos como sendo boas, porque acreditamos serem nossas, por nos terem sido, e continuarem a ser, impostas pelo mundo coletivo, muitas vezes pelo que ouvimos repetidamente em família, pelo que achamos que esperam de nós, por nos identificarmos em demasia com a nossa persona… Os rótulos justificam-nos, às nossas ações, aos nossos comportamentos, perante nós mesmos e o mundo. Com um rótulo, é mais fácil aceitarmo-nos, definirmo-nos, alimentando assim uma certa ilusão de controlo.
Ao mesmo tempo que nos protegem, e de certa forma nos facilitam a vida, os rótulos amarram-nos a uma condição da qual nos vemos gregos para sair depois. Pior do que os adjetivos pelos quais nos qualificamos, e aos outros, são os rótulos das doenças, sejam elas psicológicas ou outras, sendo as psicológicas as mais perniciosas. Lemos um monte de coisas, identificamo-nos com algumas características e atribuímo-nos o rótulo. O que pode ter dois objetivos: ou nos serve de desculpa, sou assim e pronto, o conhecido síndroma Gabriela, ou nos serve para identificar a questão, dando-lhe um nome, para que a possamos combater e com isso nos livrarmos do problema. 
Só que ao nos rotularmos, resumimo-nos a muito pouco, resumimos a nossa psique, que contem um manancial de informação incrível, grande parte dela por nós desconhecida, a meia dúzia de conceitos, que nem sempre se verificam não só eficazes como muitas vezes não passam de diagnósticos errados. Já para não falar que cada neurose tem os seus graus… 
O problema dos rótulos é acreditarmos neles. O problema dos rótulos é convencermo-nos de alguma coisa e a combatermos, quando na verdade a questão não é essa, ou pelo menos está longe de se resumir a isso. O problema dos rótulos é a forma como nos engessam e eventualmente a quantidade de tempo e de oportunidades que nos fazem perder na vida. (Continua)

You Might Also Like

error: Content is protected !!