Rui Castro: pela Verdade, sempre.

29/03/2021

As pessoas têm de assumir de uma vez o que querem. Ou querem verdade, e a exigem aos governantes e aos meios de comunicação social, ou a procuram fora deles, ou pretendem continuar a viver no medo, controladas em cada goma que comem, por um governo corrupto, mentiroso e genocida.

Antes, eram só os marqueteiros, mais recentemente os famigerados influencers, que eram pagos para mentir. Agora, são os jornaleiros também. E os médicos. Os virologistas. Toda essa corja que põe o dinheiro e/ou o poder à frente da dignidade, da profissão que jurou com honra exercer.

É verdadeiramente vergonhosa a campanha em curso para destruir um homem que não tem feito outra coisa a não ser tentar ajudar, direta ou indiretamente, quem não quer estar sujeito aos desvarios ditatoriais do governo.

À maior e mais escandalosa fraude da História.

Os primeiros a acusar tudo e todos de fascistas, a defender verdadeiras atrocidades em democracia: discriminação, identificação de inocentes com a marca da besta, a querer proibir compatriotas de fazer a sua vida, ter acesso ao mais básico do básico para sobreviver. A apelar à força policial, mas o ditador é o outro, sempre o outro.

Tal como a maioria da população não sabe nada de medicina ou de vírus, também não sabe de leis.  

É preciso ser muito desonesto, e muito preguiçoso, ou pago para isso, para repetir até à exaustão falsidades e abusos de poder, veiculando-os como se fossem verdades absolutas, exercício de poder judicial. Jornais diferentes todos com o mesmo texto, o mesmo título, o mesmo conteúdo.

Sem um mínimo de rigor quanto à verdade dos factos.

Um governo que mente todos os dias, um presidente da República que não passa de um palhaço, órgãos de comunicação social completamente vendidos que apenas veiculam propaganda, zero investigação. Figuras públicas com o seu salário garantido que juram a pés juntos que as pessoas que se manifestam para poderem voltar a trabalhar são fascistas encapotados.

Essa corja que acusa de negacionista qualquer um que se atreva a questionar a narrativa oficial. Mesmo que o faça com lógica, argumentos científicos, conhecimento de causa. E apresente provas.

Coisa que o governo NUNCA fez.

Fizeram-no com a Dra. Margarida e querem fazê-lo com o Rui Castro.

Que tem sido, como era de esperar dos meios oficiais de propaganda do governo, acusado de tudo quanto há, acusações essas feitas com base em mentiras, em processos tanto pela Ordem dos Advogados quanto pelo CSM sem qualquer razão de ser.

Admiro-lhe a coragem, orgulho-me de a justiça portuguesa estar tão bem representada, desejo-lhe calma e cabeça fria, embora entenda perfeitamente que perca a cabeça tendo em conta a insanidade que vivemos há um ano. E o que está para vir.

Gente cobarde, que não sabe nada de nada, paga para mentir, a enxovalhá-lo em praça pública. Vocês têm o que merecem. Só é pena que não sejam apenas vocês a sofrer. Que tenham de arrastar gente que a única coisa que quer é viver em paz e sossego. Trabalhar, sustentar filhos, cuidar de si e dos seus. E ser LIVRE.

Rui Castro, estou consigo até ao fim.

Pela parte que me toca, muito lhe agradeço todo o trabalho jurídico que tem feito em prol da verdade. A única arma que temos contra o abuso de poder de que somos alvo todos os dias. Quer pela polícia que interceta pessoas e as multa por estarem a comer e a passear, quer pelo Governo, que acabou com a vida de milhares de pessoas, com Estados de Emergência uns atrás dos outros, sem qualquer sentido ou prova minimamente credível de que não só são necessários como funcionam.

Governo esse que, por via dos órgãos de propaganda oficial, já vem avisando que depois da Páscoa não há liberdade para ninguém. E que a culpa é dos portugueses, esses malandros, que aproveitaram as férias da Páscoa para sair de casa e ir passear para o campo ou para onde lhes apetecer.  Mas as pessoas continuam a acreditar que é só mais este esforço, só mais desta vez.

Parece conversa de agarrado, e o povinho a engolir…

error: Content is protected !!