Uncategorized

Salve eu

25/10/2013
Tenho uma relação estranhíssima com o meu aniversário, Dr. Freud… 
Lembro-me que durante anos não comemorei. Até os meus amigos me surpreenderem e me aparecerem todos lá em casa, de conluio com a família inteira. Só eu não sabia. Gostei da surpresa. 
Também me lembro de ser criança e não gostar nada da parte em que me cantavam os parabéns, por ter toda a gente ali a olhar pra mim e eu não saber o que fazer. Nem podia cantar nem olhava para ninguém, ficava ali com os olhos fixos no bolo e nas velas e só queria que aquilo acabasse. Tinha vergonha, era tímida que só o diabo. A culpa é, claro, da minha mãe. Que sempre nos travou a necessidade de chamarmos a atenção. Daí que devo ter desenvolvido alguma coisa que me fazia sentir-me mal por ser precisamente o centro das atenções. Era de tal maneira que até pra cantar os parabéns aos outros tinha vergonha. Os parabéns, os meus e os alheios, sempre me constrangeram imenso. Explique lá esta, Dr. Freud. 
No dia do meu aniversário não ia às aulas, nem ia trabalhar, metia sempre férias ou baldava-me. Uma vez lembro-me que fui. E os meus colegas de turma sabiam que eu não curtia alarido, daí que comecei a receber papelinhos de todos, no meio de uma aula qualquer, com parabéns e desejos de felicidades e tal. Desatei numa choradeira que precisava que visse. Aquilo comoveu-me imenso, aquele gesto de respeito e ao mesmo tempo de amor. Também devia estar de tpm e não sabia, só pode…
Quando fiz 25 anos resolvi que comemorava, 25 no dia 25, e a partir daí celebrei alguns. Durante anos viajei no meu dia de anos, nada de confusões, adoro o dia, 25 é dos meus números preferidos, mas, lá está, para fugir a ser o centro das atenções, saía da minha terra e ia para outra qualquer. It’s my party and I do what I want to. 
O meu realizador preferido disse-me uma vez que eu era estranha. Devo ser mesmo. Por um lado é o meu dia e só meu. E por isso é especial. E se não sou especial em mais dia nenhum do ano, pelo menos no dia do meu aniversário sou. Por outro fico meio assim, nem feliz nem triste, nem de bode nem alegrinha, nada, não fico nada e ao mesmo tempo é especial. 
Nunca me apetece fazer nada, rigorosamente nada. Um mês antes fico com um mau humor absurdo, os esotéricos chamam-lhe inferno astral. Os astros que vão pro diabo, na boa. Mas nas vésperas lá me animo e faço. Muitas vezes porque tem de ser, por obrigação. Acabo por fazer o que toda a gente faz, coisa que também me irrita imenso, tenho a mania que sou diferente, e gosto. Por outro lado, nunca me lembrava de nada diferente para fazer. Por isso é que viajei imensas vezes neste dia. Saía sempre a perder. Presentes de aniversário eram raros, a não ser dos meus pais, que, claro, assinalam sempre a data de forma generosa. Uns queridos. 
Lembro-me que houve um ano em que fui ver uma amiga tocar com o grupo dela num pequeno teatro. Estava cheio e ela, uma filha da mãe sem tamanho, no fim do espetáculo, puxou-me por um braço, enfiei-me na cadeira o mais que pude, mas o raio da miúda conseguiu arrancar-me dali e arrastar-me pro palco e não é que pôs toda aquela gente a cantar-me os parabéns? A princípio fiquei meio tímida, depois dancei um bocadinho ao som da música, e no fim agradeci com uma vénia. Ficámos a beber copos e pessoas que nunca tinha visto na vida vinham dar-me os parabéns a toda a hora. Foi a primeira vez que me senti uma estrela. 
Também me chateia forçar felicidade. Que nem no ano novo, um gajo está chateado que nem um peru, mas tem de estar feliz porque é dia 31 de dezembro. Que se lixem as convenções. 
Se tudo correr bem, não faço porra nenhuma. Não este ano. ‘Tou com uma tpm ferrada e quero que se lixe tudo. Não conheço assim tanta gente quanto isso aqui, fazer alguma coisa e aparecerem meia dúzia de pessoas vai entristecer-me, não sou de turma nem de grandes grupos. Não mantenho relações porque sim, não sou assim tão social quanto isso. As minhas relações são intensas ou não são. Prefiro assim, não sou de multidões, apesar de encher uma sala, não sou de small talk, apesar de saber fazê-lo, apesar de não aguentar nem 5 minutos de conversa fiada. Um monte de opostos, não lhe parece, Dr. Freud? O bom de ir pra idade é aprender a lidar com eles, a reconhecê-los como meus e é isso aí. A coerência é pros fracos, ou para a arrogância da jumentude.  
Vou fazer as mãos e os pés, não faço nada, mas ao menos ‘tou linda, a ver se melhora o meu humor, pelo menos um bocadinho. A mulher que me pinta o cabelo não me atendeu o telefone o que já me irritou, só de pensar que entro nos 40 anos com dois ou três cabelos brancos a verem-se, os outros trato de os esconder muito bem, visto que são os que estão mais agarrados à cabeça e por isso não aparecem a olho nu, já fico irritada. Já lhe disse que desde 2011 faço sempre 40 anos? Passem quantos anos se passarem? Tou de tpm e posso tudo, além disso faço anos. Quero lá saber, o dia é meu e eu dou-me ao direito de estar de mau humor, era o que faltava fazer fretes no meu dia. E aquela merda daqueles comprimidos que custaram pra mais de uma fortuna não me resolvem o problema, o que me deixa duplamente p*ta da vida. 
Tou com uma tpm ferrada, daquelas em que nem chocolate salva. Só me apetece chorar ou gritar, dizer palavrões, mandar tudo à merda. Inclusive o senhor, se me vier com as suas teorias.
Devia ser proibido fazer anos de tpm, só lhe digo…
Pode ser que por ser um ano par num ano par compense. Costumam ser bons. 
Palmas pra mim. 

You Might Also Like

  • Mariam 25/10/2013 at 15:20

    Palmas, mesmo :-)

    Parabéns, menina, tu sabes que eu me lembrei mesmo, não foi preciso cá vir ler hoje.

    (Bom, enfim, usei um pequeno truque – sei que é no dia a seguir a uma das minhas meninas, que fez 17 ontem. Mas vale na mesma)

    Beijos, todos!

    • Isa 25/10/2013 at 15:31

      :) sweet of you. Gracias.
      E parabéns para ela, caramba, uma filha de 17 anos, que lindo isso :) os meus 17 foram dos melhores anos da minha vida, que o sejam para ela também :)
      Bjo gd

  • apocalyptca 25/10/2013 at 18:14

    q dia é seu aniversário?

    • Isa 25/10/2013 at 18:25

      é hoje, garouta :D

  • Ana 26/10/2013 at 22:12

    Atrasados, mas Parabéns! Palmas para ti ;)

    • Isa 27/10/2013 at 04:30

      :) sempre a tempo :) gracias.
      Bjo

    error: Content is protected !!