Uncategorized

Se não gosta, faça diferente.

10/03/2014

Nós não temos medo da crítica por sermos críticos. Temos medo da crítica, e tornámo-nos criticacríticos, por hábito, pelo exemplo que nos foi dado, por desconhecermos que existem outros modelos, outros modos de vida.

O poder de uma geração está na possibilidade de mudar, para melhor, o que foi feito, dado como adquirido, na geração anterior. Seja por tentativa e erro, seja por chegarmos à conclusão de que o que conhecemos, afinal, não nos chega. Seja por necessidade imperiosa de mudança, seja pela curiosidade de saber o que existe além das nossas quatro paredes, mesmo que o mundo lá fora seja assustador.

Chega uma hora em que é preferível encarar o desconhecido do que viver no conhecido que nos tolhe, nos apavora, nos torna amargos, faz de nós iguais às pessoas que tanto criticamos, condenamos. Não por sermos melhores do que elas, mas por sentirmos na pele e na vida o que não funcionou. O que nos fez sofrer, o que nos faz infelizes, o que não nos serve mais, ficando com o que vale a pena, o que nos é útil, o que sentimos que é nosso, descartando o que não é, aprendendo a distinguir quem é quem, sem julgamento, sem nos acharmos melhores nem piores. Escolhendo o que melhor nos serve, sabendo exatamente o que é nosso, mas não nos serve mais.

O poder de uma geração está em ir atrás do que melhor a serve, mesmo não sabendo racionalmente o que existe além das quatro paredes em que nos enfurnámos.

You Might Also Like

error: Content is protected !!