Sports Unite

12/08/2016

Agrada-me a possibilidade, a ausência de cotas, o não ao culto do desgraçadinho, África nas bocas do mundo pelos melhores motivos, a não necessidade de oportunidade. A vontade de querer, a ausência de mimimi, até de recursos, quase. O emocional e o racional, a democratização, a globalização, metade do mundo a tomar conhecimento de que existe a outra metade. A competitividade e a união, não me ocorre outro palco em que isto aconteça. A participação de gente sem país, unida pela mesma bandeira, a dos cinco aros que representa os jogos com nome a fazer lembrar o paraíso dos deuses gregos, que fica logo ali. A participação de atletas independentes, que vão mesmo que não haja acordo entre os seus governantes e o COI, pondo as lutas pelo poder em segundo plano. A fé, a crença, o esforço. Alguns dos corpos mais perfeitos do mundo, a própria perfeição dos movimentos, o orgulho nacional. A dedicação de uma vida, essa espécie de resignação, de capacidade de obediência cega a um treinador, à rigidez de horários. A força de trabalho de todos eles. Não conheço profissionais mais dedicados do que os desportistas, os atletas.

Os aparelhos são os mesmos para toda a gente, as condições atmosféricas também, o sermos todos iguais e a única diferença entre nós ser a forma como nos vemos e vemos o mundo. E o apoio na forma de amor e de crença que temos ou não. O querer ir, o que é preciso para estar nos Jogos, mesmo que não se tragam medalhas. São poucos os que conseguem. A consagração, a recompensa pelo esforço, o bater de recordes pessoais, o sonho dos olímpicos, dos mundiais. A possibilidade, sempre, sempre possibilidade.

SOCHI, RUSSIA - FEBRUARY 04: A general view of the Olympic rings during training ahead of the Sochi 2014 Winter Olympics at the Laura Cross-Country Ski and Biathlon Center on February 4, 2014 in Sochi, Russia. (Photo by Al Bello/Getty Images)

error: Content is protected !!