Selfish Love

The whole of the moon*

26/04/2013
Podemos passar uma vida inteira sem sentir isto, ter a sorte de só experienciar outro tipo de amor. Mas não me perdoaria ter passado pela vida sem experimentar esta sensação de se me varrer o chão debaixo dos pés. Eu, que me vejo meio medrosinha para experiências transcendentais, apesar de ser muito corajosa para outras. Me joguei de cabeça, no ato da paixão, quero dizer, permiti-me sentir isto tudo, é muita coisa, permiti-me sofrer, entregar o meu sofrimento à arte, vender a alma a meia dúzia de pessoas pelo mais nobre dos sentimentos, o amor, pelo mais avassalador dos estádios, a paixão. Intensa, como eu. E nem me importo que o objeto sejas tu, o inatingível. Tinha de a viver assim, não correspondida, arrebatadora, avassaladoramente apaixonada, sofrida, como um poeta maldito. It was too high, too far, too soon.
* @Selfish Love, 16 Fev. 13

You Might Also Like

  • Espiral 30/04/2013 at 18:11

    =)

    Já tinha lido (mas aqui dá me mais para comentar)

    Identifico-me em tanto das tuas palavras. Já vivi isso. E se calhar vive-se sempre. Em paralelo com outras coisas.

    Li uma vez que só os amores impossíveis são eternos (isto é de um escritor brilhante que não me lembro agora, sniff).

    Beijo te =)

    • Isa 30/04/2013 at 18:15

      :) sim, o amor é eterno, por isso não me condiciona mais, essa é, acho, a gd ciência ;)) o desejo é que é o diabo…
      Bjo, bjo

  • Espiral 01/05/2013 at 21:17

    Sim, o desejo…
    Bem.. o desejo para mim, só funciono com ele de uma maneira quando não o posso "atender" – cortar pela raiz. Nao ver, não falar, não saber. Sofre-se, morre-se todos os dias um bocadinho… mas não consigo viver com algumas coisas sempre ali a beira da pele e dos olhos.

    • Isa 01/05/2013 at 21:27

      a mim só desejo tb não chega, qd atribuo mais valor ao objeto de desejo do que só desejo. foi o q aconteceu no caso concreto, daí que, nao que nc mais queira saber, nao ver, nada disso, gosto imenso dele, de falar com ele e tal, é meu amigo, mas agora, e pq a coisa foi além do que era, eu apaixonei-me por ele, e pra ele nada mudou, é como se fosse tudo como dantes, pra mim não pode voltar a ser o

  • Espiral 01/05/2013 at 22:02

    Sim =) Exacto. Exactamente por isso, por querer mais, aconteceu-me isso mesmo: E por isso tive que cortar o resto. É duro, não sei bem como aguento, e não é não querer a amizade. É não conseguir ter isso.

    =)

    • Isa 01/05/2013 at 22:06

      é duríssimo… mas abre espaço para aparecer alguém que te queira dar tudo ;))

  • Espiral 01/05/2013 at 22:13

    E isso acontece =) (aconteceu me*)

    • Isa 01/05/2013 at 22:17

      claro que sim, há uma metáfora de que gosto muito. Imagina que tu tens uma carruagem cheia de gente, gente que não te serve mais, gente tóxica, gente que só te quer arrastar pra miséria em que vive, gente que não faz nada, nada, durante anos, para mudar uma situação que não lhe é favorável, confortável, nada. Mas tu continuas a relacionar-te com eles, a tua carruagem está cheia. Se abrires a

    • Espiral 01/05/2013 at 22:30

      Sim, é totalmente verdade.

      mas também é preciso coragem, e o que se vê mais é pessoas que preferem estar em relacionamentos maus/ infelizes/ medíocres/ assim assim só pelo meno de ficarem sem ninguém na carruagem.

      Mas é uma escolha.

    • Isa 01/05/2013 at 22:37

      sim, nós ficamos mts vezes dentro da carruagem e não deixamos ng sair, é o medo do desconhecido, e tal, mas é uma escolha, é mesmo, uma escolha de quem se quer resolver e acha que não merece ser infeliz ;))

    error: Content is protected !!